UA Ruhr Liaison Office Latin America

Olá, bem-vindo! Somos a UA Ruhr, uma aliança entre Ruhr-Universität Bochum, Universität Duisburg-Essen e TU Dortmund University, as três melhores universidades da região do Ruhr. Somos jovens, mas já temos tradição de inovar e de superar limites. Você também procura isto? Legal! Na UA Ruhr há muitas oportunidades em ensino e pesquisa. Venha conferir!

A Aliança Universitária da Região do Ruhr (UA Ruhr) reúne a Universität Duisburg-Essen, a Ruhr-Universität Bochum e a TU Dortmund University. Com aprox. 120.000 estudantes – dos quais mais de um terço é de origem estrangeira – e 14.000 funcionários, docentes, pesquisadores e técnico-administrativos, a UA Ruhr e com ela toda a região do "Ruhrgebiet" é um dos grandes centros de ciência e pesquisa na Alemanha. Os números recentes falam por si: No conjunto das universidades, são 1300 professores-titulares, 1000 doutorados concluídos e 15.000 formandos por ano. O orçamento conjunto é de 1,5 bi. de euros por ano, dentro os quais aprox. 300 mil de euros estão sendo captados com terceiros.

 

Desde maio de 2007, as três universidades formam uma aliança livre para a cooperação em áreas estratégicas, com o lema "Juntos melhor – estudar, pesquisar e ensinar". Mais de 100 projetos – como os escritórios internacionais – têm surgido nas áreas de pesquisa, docência e administração – e com eles uma cultura de cooperação, que se baseia em laços institucionais e pessoais. A cooperação visa à inovação e a excelência conjunta e de cada membro, no entorno dinâmico e hospitaleiro de uma região que em 2010 foi “Capital Cultural da Europa“. A UA Ruhr desenvolve a multiplicação de competências para tornar-se uma região de ciência e inovação cada dia melhor, nacional e internacionalmente, contribuindo à mudança pós-industrial da região.

 

 

A cooperação internacional da UA Ruhr é apoiada pelos escritórios internacionais (liaison offices). O escritório para America Latina é sediado em São Paulo, no Centro Alemão de Ciência e Inovação (DWIH), e promove intercâmbio e cooperação com universidades e agências de fomento no Brasil e em Hispanoamérica. No programa “Ciência sem Fronteiras“ do governo brasileiro, de 2012 a 2017, a UA Ruhr recebeu aprox. 430 bolsistas de graduação-sanduíche e mais alguns bolsistas de doutorado e pós-doutorado, que juntos constituíram, na época, o maior grupo de bolsistas CsF na Alemanha.

Noticias

As diferentes perspectivas sobre o trabalho e a formação profissional no contexto das transformações digitais estavam na pauta dos debates do 7º Diálogo Brasil-Alemanha de Ciência, Pesquisa e Inovação, realizado nos dias 30 e 31 de outubro de 2018, em São Paulo. O evento contou com apresentações de 15 estudiosos da área, do Brasil e da Alemanha, e aconteceu no auditório principal da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), que junto com o Centro Alemão de Ciência, Inovoção e Pesquisa (DWIH) foi co-organizador do evento.
A UA Ruhr se fez presente pela atuação de Hartmut Hirsch-Kreinsen, professor emérito da TU Dortmund University e um dos grandes pesquisadores do tema na Alemanha. Hirsch-Kreinsen foi membro do Conselho Científico da Plataforma Industria 4.0, que tina preparado o Diálogo, e um dos keynote speakers que abriram o evento. Hirsch-Kreinsen aproveitou sua estadia em São Paulo para conhecer pesquisadares brasileiros dedicados ao tema e fazer alguns contatos de trabalho.

Mais informação sobre o evento no website do DWIH.

Na decisião mais recente sobre os “clusters de excelência”, realizada por la DFG (Sociedade Alemã de Amparo à Pesquisa) y el Conselho Científico Federal, dois projetos da Ruhr-Universität Bochum (RUB) foram selecionados. Trata-se do novo cluster CASA – Cyber Security in the Age of Large-Scale Adversaries, e do cluster RESOLV – Ruhr Explores Solvation, no qual participam também investigadores da Universität Duisburg-Essen (UDE) e da TU Dortmund.
Para melhorar a seguridade da internet frente aos ataques en grande escala, CASA adota un foco bem integral: Especialistas das áreas de informática, matemática e ingeniería vao a colaborar com psicólogos para entender melhor o fator humano. RESOLV pesquisa sobre os solventes, integrando também cientistas da UDE como dos Institutos Max Planck em Düsseldorf e Mülheim (Ruhr) e do Instituto Fraunhofer em Oberhausen. Com fomento federal desde 2012, el equipo de RESOLV já tem produicido mais de 700 publicacoes, entre os quais 155 em “High Impact Journals”, e recebido mais de 90 prêmios, incluindo 12 bolsas do Erupeasn Reserach conuncil.
Junto com seus colegas da UDE e TU Dortmund, o reitor da RUB Prof. Axel Schölmerich festejou muito: „Este fomento é de sete anos e significa um impulso grande para toda a região científica do Ruhr”. Com os dois clusters aprovados – no total foram seleccionados 57 en 34 universidades, em toda Alemanha – a RUB também vai poder competir ainda pela distinção como „universidade de excelência”, em 2019.

Em breve acontecerá a quarta edição do evento "How to follow your research career at German Top Universities", organizado pela UA Ruhr, WWU Münster, FU Berlin e TU München. Trata-se de um seminário de orientação com troca de experiências sobre as possibilidades de fazer um pós-doutorado na Alemanha, em inglês, com participação de expertos vindos das universidades alemãs, no dia 23 de outubro, no Goethe-Institut em São Paulo (Rua Lisboa 974, Pinheiros). Para mais informações sobre a programação e a inscrição necessária para participar, com prazo até 14/10, pf accessar: http://bit.ly/PostdocSP_2018 

Chegaram com todo vapor e tiveram uma agenda bem cheia: Três professores de ciência de materias e nanotecnologia da UNESP (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquista Filho) visitaram durante tres dias institutos da UA Ruhr, para establecer contatos de trabalho e sondar possibilidades de cooperação. Ana Paula Alves Claro, Rafael Zadorosny und Paulo Noronha Lisboa Filho, coordenadores dos respectivos programas de pós-graduação em Guaratinguetá, Ilha Solteira e Bauru, sendo que o Prof. Noronha também é Vice-Proreitor de Pesquisa da UNESP.
A visita, organizada pelo escritório da UA Ruhr para América Latina, focou nas trocas temáticas. Assim, na Universidade Duisburg-Essen os paulistas conversaram com o Prof. Markus Winterer e seu grupo sobre “Nanoparticle Process Technology” assim como com os grupos dos professores Axel Lorke und Marika Schleberger, ambos da Física Experimental. Também houve visitas do CENIDE (Centre for Nano-Integration Duisburg-Essen) und NETZ (Nano-Energie-Technik-Zentrum), em Duisburg. Na Ruhr-Universität Bochum, as conversas com o Prof. Ralf Drautz e vários diretores de pesquisa aconteceram no ICAMS (Interdisciplinary Centre for Advanced Material Simulation). Prof. Noronha, líder da missão, ficou entusiasmado tanto pela troca de ideias quanto pelos laboratórios na UA Ruhr. Enxergando muitas possibilidades de cooperação, ele já programou uma nova visita a UA Ruhr em novembro, para participar da conferência internacional do cluster de pesquisa Materials Chain, e para aprofundar e extender os novos contatos.

Mais uma vez, o escritório para América Latina da UA Ruhr marcou presença na Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que neste ano ocorreu de 22 a 28 de julho na Universidade Federal de Alagoas (UFAL), em Maceió (AL). Neste maior evento científico do país, com aprox. 100 atividades (conferências, exposições mesas redondas, minicursos e sessões-póster), participaram mais de 10.000 pessoas.
O plataforma das instituições alemãs foi o estande do Centro Alemão de Inovação e Ciência São Paulo (DWIH). Foram apresentadas tanto as oportunidades de pesquisa e fomento de seus membros quanto as possibilidades de cooperação com as instiuições alemães no geral. O DWIH organizou também um panel sobre a digitalização na pesquisa e no ensino superior. Os convidados alemães eram Friedrich W. Hesse, vice-presidente da Associação Leibniz, e Raimund Vogl, Diretor de Tecnologia da Informação da Universidade de Münster. Um panelista brasileiro foi Vinícius Pontes Martins, coordenador da Biblioteca Digital Luso-Brasileira, no Rio de Janeiro. O estande do DWIH hospedou também uma exposição de fotos sobre os trabalhos arqueológicos na Serra da Capivara (PI) nos quais pesquisadores alemãs e o financiamento pela Fundação Alemã de Amparo à Pesquisa (DFG) continuam importantes.
Todos os participantes da delegação alemã, na qual Dr. Stephan Hollensteiner representou a UA Ruhr, trocaram ideias sobre possíveis cooperações com parceiros universitários de todo o Brasil. José Vieira da Cruz, vice-reitor da UFAL: “Temos muito interesse em firmar convênios com universidades alemãs, partindo de nossas áreas de excelência em ciências agrárias e modelagem computacional.” Ele foi anfitriao de uma reunião com o comitiva alemã e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Alagoas (FAPEAL). “É muito importante que a ciência brasileira se recupere logo. Para promover parcerias e projetos de pesquisa entre os dois países, o sistema científico tem de estar funcionando nos dois lados”, afirmou Márcio Weichert, coordenador do DWIH.

Maiores informações:

Notítica na página do DWIH

Notícia na página da DFG

 

 

Em 2005/06, com o primeiro edital da “Exzellenzinitiative”, surgiu na Ruhr Universität Bochum (RUB) uma ideia um pouco fora do comum: Criar padrões iguais para todos os doutorandos, independentemente das 20 faculdades – criar uma instituição-teto para todos! O fomento veio (duas vezes), a instituição se estableceu, e no mês pasado a RUB Research School festejou seus dez anos.
Sendo a primeira “Graduiertenschule” alemã abrangendo todas as disciplinas, a RUB Research School logo desenvolveu uma dinámica sem par no fomento integral de jovens talentos. Conseguiu a aprovação de um „Regulamento Geral de Doutorado” para todas as faculdades, em 2014. Otros sucessos: Até hoje, quase 1.000 projetos internacionais de doutorandos da RUB foram fomentados. Cada ano, 50 workshops são organizados, oferecendo o aperfeiçoamento em soft skills como networking, planejar a carreira e competir pelos recursos de fomento.
“Interdisciplinaridade, fomento e redes internacionas viraram comuns no mundo académico, mas raras vezes são combinados de forma tão intensiva como na RUB Research School“, enfatiza seu porta-voz, Prof. Dr. Wilhelm Löwenstein. „Abrimos novos horizontes para doutorandos e pós-docs, sempre com o foco na maior autonomia possível deles.” Consequentemente, a RUB Research School foi modelo para establecer a nova Research Academy Ruhr, em maio de 2018.

Três universidades, uma nova instituição: Com a "Research Academy Ruhr" (RAR), os membros da UA Ruhr vão juntar suas atividades e desenvolver novos formatos para promover e fomentar jovens pesquisadores – beneficiando quase 10 mil mestrandos avançados, doutorandos e jovens pós-doutorandos.

Cofinanciada pelo Estado de Nordrhein-Westfalen e pelo Mercator Research Center Ruhr, a RAR será uma plataforma inovadora e interinstitucional. Em suas atividades, a RAR vai se basear nas experiências das três universidades na área, especialmente da Research School da Ruhr-Universität Bochum que há anos recebe fomento da "Exzellenzinitiative". A colaboração vai criar sinergias, estendendo para poda a UA Ruhr formatos até agora locais como mentoring³ e as academias de primavera e outono. Assim os participantes poderão desenvolver ainda melhor suas competências gerais e específicas.

Porta-voz acadêmico da RAR, Prof. Dr. Wilhelm Löwenstein resume o potencial da nova instituição: "A RAR vai formar e aperfeiçoar as nossas melhores cabeças de amanhã e fortalecer toda a região científica do Ruhr".

Mais informações: RAR

A conferência anual da FAUBAI, que em abril passado teve sua 30ª edição, no Rio de Janeiro, é o mais importante evento para a internacionalização universitária no Brasil. O tema do encontro, “Internacionalização e pesquisa: desafios e estratégias”, foi debatido numa série de palestras, workshops e mesas-redondas. Como nos anos anterioros, a UA Ruhr marcou presença e contribuiu para estimular o debate.

Junto com as outras universidades alemãs presentes no DWIH São Paulo, foi organizada uma mesa-redonda com o tema “Assisting Young Researchers in Developing an International Career: The German Graduate Schools”. Participou também a Dra. Christiane Wüllner, diretora executiva da Research School da Ruhr Universität Bochum (RUB), que há 11 anos recebe fomento da chamada “Iniciativa Alemã pela Excelência”. Junto com o representante da Universidade Técnica de Munique, apresentaram o modelo “Graduate School” que tem inovado muito a formação de doutorandos e jovens pós-docs na alemanha, de uma forma especialmente atraente para candidatos do exterior.

A conferência, da qual participaram 748 participantes de 28 países, foi marcada por fortes emoções. “Estamos numa das mais importantes universidades públicas desse país, que vem passando por dificuldades enormes. Nossa presença aqui demonstra nosso apoio à UERJ”, afirmou o presidente da FAUBAI, Prof. José Celso Junior da UNESP, na cerimônia de abertura. Referindo-se ao assassinato da vereadora Marielle Franco e à violência no Brasil, ressaltou: “A educação é uma alternativa poderosa para reverter essas tendências”. Muitos palestrantes encorajaram a FAUBAI a continuar seu trabalho com determinação, nesse período de turbulências nas ciências brasileiras.

Populismo, Brexit, migração, crise financeira: A União Européia (UE) enfrenta grandes desafios – e concorda cada vez menos sobre como superá-los. Os debates envolvem não somente recursos e competências, mas também ideais e valores. Como a Europa vai agir e o que ela vai representar, no futuro?

Tais perguntas serão analisadas no projeto „NoVaMigra - Norms and Values in the European Migration and Refugee Crisis”, tomando como ponto de partida a chamada crise de 2015. Sob a direção de Andreas Niederberger, professor de Filosofia Política da Universität Duisburg-Essen (UDE), reúne pesquisadores de nove universidades europeias e americanas. O projeto será financiado pela própria UE, no programa “Horizon 2020”, com 2,5 milhões de euros.

O discurso sobre os valores europeus muitas vezes fica em lugares comuns, considera Niederberger. “Vamos analisar de forma bem precisa quais normas e valores estão inscritos nos documentos da EU – e se eles tiveram ou ainda têm importância para lidar com os refugiados, em nivel político – sem esquecer que eles divergem, às vezes, entre os estados-membros.” Mas o projeto também quer focar em outro nível, isto é, analisando os discursos e motivos dos voluntários que lidam com os refugiados, nas organizações da igreja e da sociedade civil. “Esperamos poder contribuir para que os direitos humanos e a democracia não sejam privilégio de poucos, mas direito de muitos“, resume Niederberger, o qual, em outros projetos, colabora com a Universidade Federal do ABC e o CEBRAP (Centro de Análise e Planejamento), em São Paulo.

A fundação „Volkswagen“, uma das grandes agências de fomento à ciência na Alemanha, financiará dois Colégios de Doutorado nas universidades da UA Ruhr, com no total 3,4 mi. de Euro. Os colégios são inovadores porque vão juntar ciência e aplicação profissional. Assim, durante a elaboração da tese, os doutorandos podem trabalhar até um ano em empresas, administrações públicas ou ONGs relevantes.

Um colégio trata de um tema essencial para a região do Ruhr: Como cidades se reinventam depois do declínio de suas indústrias tradicionais? „Scripts for postindustrial Urban Futures: American Models, Transatlantic Interventions“ analizará experiêncas nos dois lados do Atlântico, especialmente os “escenários de futuro” que se vem dando cidades marcadas antigamente pela indústria automobilística (Detroit) ou siderúrgica (Pittsburgh, Dortmund, Duisburg, Essen). As experiências práticas serão em instituções de educação, transporte, planejamento, turismo e marketing. Os parceiros são, entre outros, os centros culturales Dortmunder U, Tía Chucha’s y Quilomboarte, a Associação Regional do Ruhr e Duisport, a empresa portuária de Duisburg.

O outro colégio também trata de um assunto bem atual: Como a mídia trata do tema dos refugiados, sobretudo nos países de origem dos migrantes? Por que a mídia muitas vezes omite corrupção e conflitos? Podem cooperações midiáticas entre países mais e menos desenvolvidos contribuir para mais qualidade e objetividade no jornalismo? Essas são perguntas principais do colégio MEDAS 21 („Global Media Assistance: Applied Research, Improved Practice in the 21.st Century“) que reúne os institutos de jornalismo e comunicação na UA Ruhr. Parceiros são a Deutsche Welle Akademie, as fundações políticas Friedrich Ebert e Konrad Adenauer e as NGOs African Media Initiative, Media in Cooperation and Transition e Catholic Media Council.

Mais informações: www.uni-due.de

A iniciativa de marketing do cluster “Materials Chain”, que reúne mais de 200 grupos de pesquisa nas três universidades da UA Ruhr, foi premiada pela DFG (Sociedade Alemã de Amparo à Pesquisa) por aumentar a visibilidade da pesquisa alemã no exterior e atrair talentos para cooperações ou estadias de pesquisa. A ideia surgiu em colaboração com a Research Academy Ruhr, que coordena todas as ofertas para promoção de jovens pesquisadores na UA Ruhr, a partir de fevereiro de 2018, e que participará na implementação das atividades. Com os recursos do EXMAC, de 100 mil Euros no total, os responsavéis de “Materials Chain” poderão convidar 30 jovens pesquisadores internacionais para estadias de pesquisa de até 15 dias em suas universidades. Durante a estadia, os fellows vão poder elaborar um projeto ou pedido de fomento e se conectar com outros pesquisadores na UA Ruhr. Os mais talentosos poderão ainda se apresentar na „Materials Chain International Conference“, no segundo semestre de 2018.

O escritório para América Latina da Aliança Universitária Ruhr deseja a todos os amigos e parceiros “Boas Festas” e um 2018 cheio de felicidade e realizações.

Recentemente dois projetos da Universidade Duisburg-Essen (UDE) para promover inclusão e diversidade ganharam destaque internacional: O projeto "Kicking Girls" recebeu o "UEFA Award for Children"; o projeto "Chance hoch 2" ("Oportunidade ao quadrado") foi premiado pelo "Diversity and Quality Award" da rede Aurora, composta de nove universidades europeias.

Desde 2007, o "Kicking Girls" promove futebol entre meninas com origem imigratória ou desfavorecidas, para a quais, por motivos culturais ou religiosos, é difícil a prática do esporte. Trinta mil já se organizaram em times escolares, 5 mil entraram em clubes regulares e mais de 1,3 mil fizeram (ou fazem) uma formaҁão de treinadora – e todas têm ganhado autoconfianҁa e competência social. São números relevantes.

Prof. Ulf Gebken, professor titular para sociologia do esporte, fundou o "Kicking Girls" junto com a associaҁão "Integraҁão por Educaҁão e Esporte". Após ganhar outros patrocinadores, como a Federaҁão Alemã de Futebol e a Fundaҁão Laureus, o "Kicking Girls" decolou também na Áustria, Suiҁa, Irlanda e Bélgica. "Queremos crescer ainda mais", enfatiza Gebken, que pretende utilizar os 50 mil euros do UEFA Award para a expansão do projeto em outros países.

https://www.uni-due.de/sport-und-bewegungswissenschaften/kicking_girls

"Chance hoch zwei" consiste no fomento integrado a alunos procedentes de lares não-acadêmicos nos quais, por motivos religiosas, é difícil praticar o esporte. Os integrantes curstam desde o ensino médio até o primeiro ano universitário. Através de workshops e seminários, os bolsistas – atualmente 175, de 23 nacionalidades – aprimoraram suas competências cultural-cognitivas e são aconselhados no ingresso universitário. Durante todo este período, recebem uma bolsa mensal para material escolar e uma ajuda inicial para se equipar na universidade.

O programa é financiado pelo Ministério de Cultura e Ciência do Estado de NRW (Rhenânia do Norte-Vestfália) e pela Stiftung Mercator. Estudos mostram que o programa tem contribuido consideravelmente para o sucesso escolar e acadêmico. 80% dos bolsistas iniciaram um curso universitário, com preferência em engenharia civil, economia e magistério.

https://www.uni-due.de/chancehoch2/

Na primeira decisão da nova iniciativa de excelência, do governo federal e da Sociedade Alemã de Pesquisa (DFG), dois anteprojetos de "research cluster" da UA Ruhr tiveram sucesso. Os projetos aprovados analisam os processos químicos dependentes de sustâncias solubles ("solvataҁão") e aspectos de seguranҁa nas tecnologias de informaҁão. A continuaҁão do cluster "Ruhr Explores Solvation – RESOLV", com fomento pela atual iniciativa de excelência desde 2012, foi submetida pela Ruhr-Universität Bochum (RUB) junto com a TU Dortmund e inclui também cientistas da Universität Duisburg-Essen (UDE). O projeto do novo cluster "Cyber Security in the Age of Large-Scale Adversaries (Casa)" provém também da RUB e seria hospedado no "Horst Görtz Institute for IT-Security".

Nesta primeira fase da nova iniciativa de excelência, foram submetidos 195 pedidos e escolhidos 88 anteprojetos, de 41 universidades. Os pedidos finais serão entregues até fevereiro e avaliados até setembro de 2018. Os projetos finalmente vitoriosos contarão com fomento a partir de 2019.

No novo programa nacional dos governos federais e estaduais, que financia a contrataҁão de mil novos professores até 2019, a UA Ruhr conquistou 54 fomentos, em conjunto. Enquanto a Universidade Duisburg-Essen (UDE) conseguiu fomento para 21 vagas (o que representa o 5º lugar em toda Alemanha), a Ruhr-Universität Bochum (RUB) conquistou 18 e a TU Dortmund, 15 novas vagas. Os professores terão um “tenure track”, o que significa que a universidade compromete-se a contratar os titulares de forma permanente, após seis anos. Neste primeiro edital do programa, foram aprovadas 476 novas vagas (em 34 universidades alemãs) – dos quais 11% ficarão nas universidades da UA Ruhr. “E um sucesso espetacular para toda a UA Ruhr“, festejou Prof. Axel Schölmerich, Reitor da RUB. “Os novos professores vão ajudar a fortalecer o nosso perfil de pesquisa”, enfatizou Prof. Ulrich Radtke, Reitor da UDE.

A parceria estratégica da UA Ruhr com a Universidade Federal do ABC (UFABC) continua dando frutos. Com fomento do DWIH (Centro Alemao de Ciencia e Inovaçao, São Paulo) aconteceu, de 19 a 21 de setembro, o seminário “Multilevel Governance em prol do desenvolvimento sustentável nas regioes do Ruhr e ABC Paulista”, organizado em parceria com o escritório da UA Ruhr no DWIH. A nível científico, o evento foi coordenado por Klaus Frey, professor titular e coordenador do programa de pós de Políticas Públicas na UFABC, e seus parceiros na UA Ruhr, Prof. Karsten Zimmermann (TU Dortmund, Planejamento Regional) e Prof. Nicolai Dose (Universität Duisburg-Essen, C. Política). O evento reuniu 45 especialistas de universidades, fundações e poderes públicos, para analisar as mudanças e debater as perspectivas. Houve também uma troca de ideias entre as agencias do desenvolvimento economico das duas regias, sendo a Metropole Ruhr representada por Jorg Kemna, da diretoria executiva.

Maiores informacoes: http://dwih.com.br/pt-br/noticias/seminario-internacional

Foi o primeiro seminário em solo latinoamericano para alumni dos programas EPOS, a rede dos programas de pós-graduacao fomentados pelo DAAD e relevantes para países emergentes e em desenvolvimento, que está sendo coordenada desde a Ruhr-Universität Bochum. O tema do evento foi „Challenges of urbanization – desafios da urbanizaçao”, 14 e 15 de setembro no Rio de Janeiro, e participaram 35 ex-bolsistas, em sua maioria do Brasil e alguns de Colombia, Chile y México. Ao lado das palestras e workshops, as “visitas de campo” na Cidade Olímpica de 2016 despertaram muito interesse. Elas foram ao “Porto Maravilha”, grande projeto de revitalização da zona portuária, e ao COR (Centro de Operaçoes de Rio de Janeiro), que monitora o trânsito e outros serviços com mais de 1200 cámeras espalhadas por toda a cidade. Foram dois dias de debates intensivos – e os participantes já começaram a se conectar para planejar novas atividades ao redor do tema.

O lema é “juntos melhor” – a ideia é juntar e potencializar as forςas de três universidades, para melhorar rendimento e competitividade de cada uma e da região toda. Ao longo dos agora 10 anos da Alianca Unversitária do Ruhr, surgiram mais de cem projetos conjuntos em pesquisa, ensino e administraҁão – e toda uma cultura de cooperaҁão com muitos laҁos pessoais. Porém, a estrutura administrativa é pequena: O escritório de coordenaҁão fica em Bochum, no centro geográfico da alianҁa. Decisões estratégicas são tomadas pelo conselho dos Reitores e dos Proreitores financeiros. Um conselho de pesquisa, composto por cientistas destacados das três universidades, desenvolve as áreas de excelência. Muitas vezes uma universidade-membro assume o compromisso para as outras duas, segundo o principio “pars pro toto”, como na coordenaҁão dos escritórios internacionas ou nas relaҁões públicas.

A UA Ruhr virou uma história de sucesso. Apesar de se basear em universidades bem jovens, a Ruhr está entre as cinco melhores regiões de pesquisa da Alemanha. Um ato comemorativo acontecerá em 13 de julho, em Bochum. Há palestras festivas, p. ex. do chanceler da University of California in Berkeley, uma bate-papo com os três reitores da UA Ruhr – e uma apresentaҁão conjunta dos três coros universitários.

Reunir artistas, cientistas e economista para trocar ideias e chegar a inovações e novos conhecimentos – essa é a ideia da [ID]factory, um laboratório de pesquisa artística na TU Dortmund. Em julho, a [ID]factory fará parte da delegação do Centro Alemão de Ciência e Inovação (DWIH), na 69ª Reunião Anual da SBPC que ocorrerá na Universidade Federal de Minas Gerais, em Belo Horizonte, com uma exibição interativa sobre “Arte e Ciências”.

Os dois membros fundadores da [ID]factory, Prof. Ursula Bertram e Dr. Werner Preißing, também vão proferir a palestra “The Missing Link – Why Science and Economy Need Artistic Research”, na qual querem mostrar a importância de processos não-lineares e do pensamento artístico nas descobertas científicas.

No minicurso „The Missing Link – Artistic Research“, estratégias da arte vão ser transferidas para o pensar e agir cotidianos. Para participação, basta clicar no link (MC-56): http://sbpcnet.org.br/reunioes/belohorizonte/lista_mc.php.

Pela primeira vez e com fomento do DAAD, a Ruhr-Universität Bochum (RUB) organizará uma escola de verao interdisciplinar sobre “Arts and Science in Urban context – Explore, Share, Perform”, em meados de agosto. Na America Latina, a resenancia ao edital foi muito positiva. Houve 50 candidaturas procedentes de Brasil, Chile, Argentina e Colombia – o que corresponde ao 70% de todos os insritos. 12 latinoamericanos foram selecionados e convidados, alguns originais de universidades parceiras da RUB, junto com outros 12 candidatos alemaes e internacionais.

Em meados do mês, o físico Klaus Capelle, Reitor da UFABC, visitou as universidades da Aliança Universitária do Ruhr (UA Ruhr). Na Universidade Duisburg-Essen, Capelle conheceu o CENIDE (Centre for Nano-Integration Duisburg-Essen) e conversou com o Pró-reitor de pesquisa, Prof. Jörg Schröder. Na Ruhr-Universität Bochum (RUB), visitou a faculdade de Eng. Mecânica e o cluster de pesquisa RESOLV – Ruhr Explores Solvation, financiado pela iniciativa de excelência do governo alemao.

Na TU Dortmund, conversou com o encarregado da Reitoria pela internacionalizacao, Prof. Sebastian Engell. As conversas e as visitas visavam intensificar e extender a cooperação entre a UFABC e a UA Ruhr, que até agora abrange as áreas de Ciência Política, Filosofia e Eng. Mecânica. Para formalizá-lo, Capelle e o Reitor da RUB, Prof. Axel Schölmerich, assinaram um novo contrato de cooperação que visa establecer uma parceria estratégica entre a UFABC e a UA Ruhr.

Como fazer um pós-doc na Alemanha? Esta é questão que um evento de orientação e networking tenta responder. Organizado conjuntamente pelos escritórios das universidades alemães no DWIH (além de UA Ruhr, FU Berlin, TU München e WWU Münster), o evento “How to follow your career at German top universities” ocorrerá – em inglês – nos dias 9 (São Paulo) e 11 (Rio de Janeiro) de maio e contará com a presença de especialistas vindos das universidades alemãs organizadoras e ex-pós-doutorandos. Os participantes receberão informações sobre oportunidades de pesquisa e de fomento nas universidades participantes com em toda Alemanha, mas também sobre aspectos da vida na Alemanha. As vagas estarão limitadas, as inscrições abrirão em abril.

O escritório para América Latina da UA Ruhr participará das Jornadas Brasileiras do Ministério Federal para Educação e Investigação (BMBF). O evento acontece nos dias 12 e 24 de março, em Bonn, e conta com a presença de aprox. 150 coordenadores de cooperação científica com o Brasil. Pela UA Ruhr, estão presentes o diretor científico do escritório, Prof. Dr.-Ing Rüdiger Deike, da U. Duisburg-Essen, e o coordenador do escritório no Brasil, Dr. Stephan Hollensteiner. Este participa também, em início de Abril, do encontro anual da FAUBAI (Associação Brasileira de Educação Internacional), que em 2017 acontece em Porto Alegre, de 8 a 12 de abril. No encontro da FAUBAI, a UA Ruhr participa também de um painel sobre universidades e inovação, organizado entre as universidades alemãs com representação no DWIH-SP.

Pela terceira vez, a Research School da Ruhr-Universität Bochum (RUB) organizará duas semanas de “matchmaking” para jovens pesquisadores internacionais. Nesse ano, o “Research Explorer Ruhr” acontecerá de 18 e 30 de junho. São aproximadamente 18 vagas junto a professores-titulares da RUB, principalmente nas áreas das ciências exatas e nas humanas e sociais. Os candidatos devem estar na fase final do seu doutorado ou tê-lo concluído até 12 meses atrás, no máximo. Os escolhidos poderão conhecer de perto os institutos e facilidades de pesquisa na RUB.

Candidatos podem se candidatar a partir de 1 de fevereiro, a través do website da Research School. O convite inclui passagem, refeições e hospedagem em Bochum. Durante a estadia, haverá palestras sobre a paisagem de pesquisa na Alemanha e ateliê para escrever pedidos de fomento para um pós-doutorado. O convite não significa uma vaga na RUB, mas permite conectar cientistas com institutos e professores para descobrir se ela será o lugar da sua próxima estadia pós-doc.

Mais informações (com formulário de inscrição): http://www.research-school.rub.de/rer.0.html

Em 8 de fevereiro de 2017, a Universidade Duisburg-Essen (UDE) inaugura seu novo „Centro Interdisciplinar para Estudos sobre Integração e Migração“ (InZentIM). O novo centro se dedicará às dinâmicas e aos desafios que os processos migratórios têm trazido, na região do Ruhr e na Alemanha toda. Estas mudanças afetam, sobro tudo, as áreas de trabalho, educação, saúde, religião, direito e política. O InZentIM conectará a grande expertise na UDE sobre estas temáticas e desenvolve novos projetos conjuntos. Tenta captar as dinâmicas no nível teórico e empírico, abrir perspectivas para sociedade e política, e enriquecer o discurso público. O ato de inauguração conta com a presença da Ministra para Inovação, Ciência e Pesquisa do Estado de NRW, Svenja Schulze, e muitas outras autoridades.

A Universidade Duisburg-Essen (UDE), através do seu Instituto para Desenvolvimento e Paz (INEF) e do Käte-Hamburger-Kolleg para “Global Cooperation Research”, é um dos destinos para os futuros bolsistas do “International Postdoctoral Program” (IPP) do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP), em São Paulo. Com este programa, recém-doutores das ciências sociais latu sensu (sociologia, ciência política, antropologia, historia, direito, economia e filosofia), com temáticas de pesquisa afins aos institutos envolvidos, podem ganhar fomento para uma estadia de oito meses no CEBRAP e três meses na instituição parceira no exterior. A UDE faz parte de um ilustre grupo de parceiros internacionais do CEBRAP, que inclui a Universidade de Cambridge, Princeton University e Freie Universität Berlin, entre outras. O prazo de inscrição vai até 24 de fevereiro de 2017.

A inovação social é um dos principais temas de pesquisa do Instituto de Pesquisa Social (sfs) da TU Dortmund. Em outubro de 2016, Prof. Jürgen Howaldt e seu colaborador Dmitri Domanski estiveram no Brasil para conhecer o debate local e possíveis novos parceiros. Seguindo viagem, apresentaram na Colômbia um dos resultados de sua cooperação com América Latina: a publicação „Innovación Social en Latinoamérica“, publicada junto com parceiros na Colômbia e no Chile. Nesta coletânea de 350 paginas, autores de diferentes áreas mostram e refletem fenómenos de inovação social no continente. Há, entre outros, as perspectivas de órgãos continentais de desenvolvimento, de agencias públicas e de ONGs assim como contribuições acadêmicas sobre experiências na Argentina, Colômbia e no Chile. A coletânea mostra que não existe uma formula mágica para que inovação social aconteça – e que Europa pode aprender bastante das experiências na América Latina.

Clique aqui para acessar a versão online (em espanhol): http://sfs.tu-dortmund.de/Publikationen/Innovacion_Social_en_Latinoamerica.pdf

Neste ano, já é a edição no. 25 do “International Summer Program” (ISP) da TU Dortmund, que acontecerá de 8 de junho a 11 de agosto de 2017. Como é de costume, o ISP é oferecido em duas versões, uma focada nas Engenharias (A), outra nos Estudos Europeus e Germânicos (B). Estudantes provenientes de universidades parceiras terão prioridade na admissão. O valor do pacote é de 1650 Euros, incluindo matrícula, hospedagem durante o curso em residência universitária, plano de saúde, transporte público local e regional, excursões culturais e recebimento no aeroporto ou na estação central de Dortmund. O prazo de inscrição encerra em 15 de fevereiro de 2017.

As primeiras salas já foram ocupadas, os primeiros cientistas já estão pesquisando. 2017 foi o apito inicial para o novo “Center for Advanced Internet Studies” (CAIS) em Bochum, financiado com anualmente mais de um milhão de Euros pelo Ministério de Inovação, Ciência e Pesquisa do Estado de Nordrhein-Westfalen. O centro se debruçará sobre a onipresença digital na comunicação, na sociedade e nos processos políticos – querendo explorar tanto as chances como os riscos. Propõe uma pesquisa inovadora, a transferência do saber à sociedade e um diálogo com atores em economia, política e sociedade civil. O CAIS é uma cooperação do “Horst-Goertz-Institut für IT-Sicherheit” da RUB e do „Instituto para Internet e Democracia” da Universidade de Düsseldorf; também participam as universidades de Bonn e Münster como o Institut Grimme de Marl. O CAIS quer atrair ativistas e cientistas a traves de três programas, sendo o mais interessante para acadêmicos internacionais o „Fellowprogramm“, que permita a estadia de até seis meses no CAIS – em breve haverá os primeiros editais.

Roda gigante festivamente iluminada, no mercado natalino de Essen. O escritório para América Latina da Aliança Universitária Ruhr deseja a todos os parceiros Boas Festas e um Novo Ano cheio de felicidade e realizações.

Já faz quase meio ano que a bióloga Elaine Lopes Pereira Nunes, da Universidade Federal do Paraná, está pesquisando na Ruhr-Universität Bochum (RUB), com fomento da Fundação Alexander von Humboldt (AvH). Elaine é doutora em Biologia Vegetal pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (campus Rio Claro), e já pesquisou durante o doutorado por quatro meses na RUB. As suas áreas de trabalho são morfologia, anatomia, embriologia e desenvolvimento floral de monocotiledôneas, isto é orquídeas brasileiras. Na RUB, está trabalhando durante 18 meses sobre "Floral development in species of Dendrobieae Endl: search for homologies and the role of genes MADS-box in morphological key-innovation". O projeto esta sendo desenvolvido junto ao Prof. Thomas Stützel, Faculdade de Biologia e também Diretor do Jardim Botânico da RUB, que tem tradição de receber colegas brasileiros. Elaine ganho o fomento no programa conjunto CAPES-AvH, que contempla poucos cientistas por ano.

Grande sucesso para a UA Ruhr na rodada mais recente de novos fomentos da Sociedade Alemã de Apoio à Pesquisa (DFG): Dos 34 novos projetos aprovados, em toda Alemanha, cinco tem participação das universidades da UA Ruhr. Entre os 20 novos “centros de pesquisa colaborativa” (SFB), a TU Dortmund ganhou dois, ambos na Faculdade de Engenharia Mecânica, na área de tecnologia de produção: O SFB no. 188 (“Schädigungskontrollierte Umformprozesse”) foi aprovado pela primeira vez, o SFB no. 73 (“Umformtechnische Herstellung von komplexen Funktionsbauteilen”) conseguiu o terceiro fomento consecutivo. A Universidade de Duisburg-Essen (UDE) e a Ruhr-Universität Bochum (RUB), em conjunto, ganharam outro SFB. Trata-se do projeto MARIE, o que significa „Mobile Material-Charakterisierung und -Ortung durch Elektromagnetische Abtastung“, em português: “Caracterização móvel de materiais a través de toque eletromagnético”. O objetivo é desenvolver um detector móvel de materiais que caiba no bolso e permita explorar ambientes mal acessíveis. Prof. Dr. Ulrich Radtke, Reitor da UDE, festejou: „É um grande sucesso da UA Ruhr e de sua área de excelência Materials Chain”. A RUB ainda é parceiro do novo SFB „Symplektische Strukturen in Geometrie, Algebra und Dynamik“, coordenado pela Universidade de Colônia. A RUB também foi contemplada para um dos 14 novos “Grupos Interdisciplinares de Doutorandos” (Graduiertenkolleg), junto com a Universidade de Osnabrück, dedicado ao tema „Situierte Kognition“. Juntando cientistas e doutorandos da filosofia, das ciências da cognição e das neurociências, tentará explorar a interação de processos cognitivos e fatores externos no desenvolvimento das capacidades mentais.

Uma conferência e um documento de peso – eis o resultado mais recente da rede WINDO, abreviação para “Wissenschaft in Dortmund”. A rede foi fundada em 1990 e reúne 23 instituições de ciência, pesquisa e inovação. Em 2012, já elaborou o “Masterplan Wissenschaft”, uma estratégia para incentivar as ciências na cidade. Agora, o documento com o titulo „Eine Stadt. Viel Wissen.“ (em português: Uma cidade. Muito saber.) e apresentado numa conferência internacional, faz um balanço provisório, mapeando a diversidade e as áreas de excelência na produção local do conhecimento. Embora Dortmund (como quase toda a região do Ruhr) seja um lugar jovem para ciência, inovação e pesquisa (a TU foi fundada em 1968, seguida pelas outras instituições como os institutos Max Planck e Fraunhofer), hoje em dia aprox. 10 mil pessoas trabalham no setor. Além das áreas de excelência mais consolidadas – Produção, Logística, Engenharia Química e Pesquisa Empírica de Educação, novas temáticas como Energia, Sustentabilidade e Urbanismo tem surgido. Uma boa parte dos cientistas está localizada no campus da TU e da Universidade de Ciências Aplicadas, no oeste da cidade, onde também se encontra o Parque Tecnológico (TZ.DO), o maior deste tipo em toda Alemanha.

Após 2013 e 2014, a Universidade Duisburg-Essen (UDE) foi considerada de novo a melhor universidade alemã para cursar logística, pela revista especializada VerkehrsRundschau. O ranking é baseado no concurso "Logistik Masters", de qual participaram quase 1.700 estudantes de toda a Alemanha. Segundo os organizadores, o concurso mostra onde os estudantes aprenderam com sucesso a lidar com desafios nos setores de transporte, logística e supply chain management. Prof. Dr.-Ing Bernd Noche, coordenador do curso de Logística Técnica na UDE, ficou muito feliz. "Este concurso cria identidade ao redor do curso e da universidade, e contribui para apresentar a logística como área interessante e desafiadora." As outras universidades da UA Ruhr também foram classificadas na Série A da área: A Ruhr-Universität Bochum ficou em 10° lugar, a TU Dortmund em 17°. Para mais detalhes (em alemão): http://www.verkehrsrundschau.de/hochschul-ranking-duisburg-essen-auf-platz-1-1841069.html

Por ocasião do quinto aniversário de seu escritório para América Latina, e da introdução do novo diretor científico, a UA Ruhr reuniu parceiros, colegas e amigos. As mensagens de boas-vindas vieram de Dr. Martina Schulze, Diretora do DAAD no Rio de Janeiro, e Klaus Zillikens, Cônsul-Geral da República Federal da Alemanha no Rio de Janeiro. Prof. Dr. Jürgen Howaldt, Diretor do Instituto de Pesquisas Sociais da Universidade Técnica de Dortmund, proferiu palestra sobre “Industry and Society 4.0” (Para visualizar as palestras em pdf clicar em cima do título). A segunda palestra veio de Prof. Dr.-Ing. Rüdiger Deike, Engenheiro Metalúrgico da Universidade Duisburg-Essen e novo diretor cintifico do escreitrorio para América Latina, que falou sobre “German-Brazilian research perspectives on circular economy” (Para visualizar as palestras em pdf clicar em cima do título). Em sequência houve um coquetel de confraternização, que contou com a presença dos representantes de outras instituições alemãs (DAAD, Instituto Goethe), de universidades parceiras brasileiras (UFRJ, UFF, IME) e de empresas como ThyssenKrupp

Organizado pelo escritório da UA Ruhr e pela “Sozialforschungsstelle” (sfs) da Universidade Técnica de Dortmund, o primeiro "German-Brazilian Workshop on Social Innovation and its Research" reuniu, no Rio de Janeiro, aproximadamente 30 cientistas para debater o tema.

Como enfoque para analisar novas práticas coletivas em áreas de educação, saúde ou meio ambiente, a nível local e regional, “inovação social” virou moda. Mas o que significa mais concretamente, na teoria e na praxe social, na Europa e na América Latina? Quais são os fatores que contribuem para mudanças “boas e sustentáveis”, e que contextos sociais, econômicos e culturais fomentam ou dificultam a inovação social?

No workshop, pesquisadores e ativistas de Brasil e Alemanha – e.o. da UFRJ, PUC-Rio, UFRGS, UNISINOS e UNESP, TAM também EMPRAPA e swissnex – debateram estas e outras perguntas. Foram discutidos estudos de casos como reflexões teóricas e comparativas. Também foi apresentado o projeto global de pesquisa "SI-DRIVE: Social Innovation – Driving Force of Social Change", fomentado pela União Europeia e dirigido pelo Prof. Jügen Howaldt, Diretor do sfs, que mapeia e analisa casos e cenários de inovação social no mundo inteiro. Os participantes vão tentar, entre outros, formar uma rede internacional de pesquisa dedicada ao tema.

Na última seleção de fomento do European Research Council (ERC), cientistas da Ruhr Universität Bochum (RUB) conseguiram um total 8 milhões de euros de fomento. Dois projetos foram considerados com o “Advanced Grant”, cada um de 2,5 milhões de euros, para ideias pioneiras, mas arriscadas. Os premiados eram: Prof. Martina Havenith, da Faculdade de Química, para desenvolver métodos para observar a interação entre proteínas e dissolventes; e Prof. Christof Paar, do Instituto Horst Götz de Segurança em TI, para pesquisar aspetos de segurança no “Internet das Coisas”. Os “Starting Grants”, de 1,5 milhões de euros, foram para Nicolas Plumeré (Centro de Eletroquímica) e sua pesquisa sobre o armazenamento de eletricidade em fontes renováveis de energia; e Viktoria Däschlein-Gessner, da Faculdade de Química Inorgânica, para desenvolver novo sistemas de ligandos. Com estes destaques, a RUB se afirma mais uma vez entre as melhores universidades alemãs em Química e IT.

Juntar forças para enxergar mais longe: O novo “Ruhr Astroparticle and Plasma Physics Center”, abreviado RAPP Center, pesquisará temas relacionados à astrofísica como na física de partículas e de plasmas. Cientistas ao redor dos professores Ralf-Jürgen Dettmar, Reinhard Schlickeiser e Julia Tjus (todos da Ruhr-Universität Bochum), Wolfgang Rhode e Bernhard Spaan (ambos da Technische Universität Dortmund) e Gerhard Wurm (Universität Duisburg-Essen) se dedicarão a perguntas como: O que é a matéria escura? De onde vem o raio cósmico? Porque tem mais matéria que antimatéria? E como surgem novos planetas? O novo centro está localizado na RUB e conta com o fomento da Fundação Mercator (Essen).

Começaram os jogos paralímpicos e outra vez estudantes da UA Ruhr estão participando – tanto como atletas quanto entre os jornalistas que acompanham o evento.

Uta Streckert é estudante de sociologia da RUB e sofre de incapacidade paralisia cerebral, uma forma de espasticidade. Tem 22 anos e competirá nas corridas de 100m e 200m, com o objetivo de superar seu recorde pessoal de 17,37s e 36,79s, respectivamente - e quem sabe não conseguir um lugar no pódio.

Nos bastidores, atua Julian Hilgers, estudante de jornalismo da TU Dortmund. Ele escreve para o “Jornal Paralímpico”, uma iniciativa do Seguro Legal Alemão de Acidentes e do “Tagesspiegel”, de Berlim. Reporta as duas semanas dos Jogos junto com outros futuros jornalistas de Brasil, Inglaterra e Alemanha. Lars Mittkowski, de 24 anos, é natural de Bochum e cursa Germanística e Ciências Sociais na Universidade de Duisburg-Essen.

Nesses dias é um dos monitores da excursão paralímpica da “Associação Alemã dos Jovens Esportistas com Deficiência” (DSBJ). Os 25 jovens, na maioria com necessidades especiais, vieram ao Rio para acompanhar os Jogos e participar dos muitos eventos. Segundo o brilhar nos olhos de Lars, a viagem está sendo uma experiência única, para todos os auto-denominados “Riomanics”.

Fazer um pós-doutorado na Alemanha significa trabalhar num contexto internacional e competitivo, com muitas possibilidades para intensificar a carreira de pesquisa e a rede de contatos. Mas como chegar lá, e quais são as possibilidades de fomento?

Para descobrir as possibilidades e oportunidades, estamos convidando candidatos interessados e qualificados ao “Opportunities Workshop: How to follow your research career at German top universities”, a ser realizado em São Paulo (20 de setembro) e no Rio de Janeiro (22 de setembro). O evento é organizado pelos escritórios de contato da University Alliance Ruhr, Universidade Técnica de München, Freie Universität Berlin e do Centro Brasileiro da Universidade de Münster. O evento contará com a presença de pesquisadores brasileiros com pós-doutorado realizado na Alemanha e especialistas vindas das universidades organizadoras. Entre outros virão Christiane Wüllner e Jörn Benzinger, da Research School da Ruhr-Universität Bochum.

Como o foco do evento é bastante específico, haverá uma seleção entre os candidatos. Estes devem se informar bem sobre as áreas de pesquisa e possíveis professores anfitriões em cada universidade, anteriormente ao evento, por meio dos links indicados

Entre os 449 atletas nomeados para o time olímpico alemão, 18 estudam nas universidades da UA Ruhr. Vieram à XXXI Olimpíada no Rio de Janeiro para competir nas modalidades de remo, natação, badminton e corrida de obstáculos. Após duas semanas, o saldo é bastante positivo: São sete medalhas, três vezes de ouro e quatro vezes de prata, todas conquistadas por atletas do time de remo que está treinando no centro federal de remo de Dortmund.

Carina Bär, da Ruhr-Universität Bochum (RUB), e Lisa Schmidla, da TU Dortmund, conquistaram ouro no quadruple scull feminino. Para Bär, já era a segunda medalha em Olimpíadas, depois de 2012. Também Lauritz Schoof da RUB, com seu time do quadruple scull masculino, defendeu a primeira colocação após o ouro de Londres, há quatro anos.

No remo, na modalidade de oito com timoneiro, Martin Sauer da RUB e sua equipe ganharam a medalha de prata. No mesmo barco estiveram Maximilian Reinelt, Malte Jakschik, os dois da RUB, e Richard Schmidt da TU Dortmund. Sauer, Reinelt e Schmidt já foram parte do barco vitorioso de Londres, em 2012, quando o navio almirante alemão conquistou da maneira grandiosa o mais alto lugar do pódio.

A convite do DWIH (Centro Alemão de Ciência e Inovação, São Paulo), a Profª. Ute Klammer, da Universidade de Duisburg-Essen, esteve no Brasil para participar de eventos focados no gerenciamento da diversidade nas universidades. Economista e filósofa de formação, foi de 2008 a 2015 (por dois mandatos) Vice-Reitora de Diversity Management na UDE, como primeira titular desta pasta em toda Alemanha. No encontro anual da SBPC, que ocorreu de 3 a 9 de julho na Universidade Federal do Sul da Bahia (UFESB), a Profª. Klammer participou de uma mesa-redonda organizada conjuntamente por DWIH e SBPC sobre o tema. Houve uma troca intensiva com, entre outros, Naomar Almeida Filho, reitor da UFSB, e Marcelo Knobel, ex-Pró-Reitor da UNICAMP e assessor da FAPESP, sobre as políticas inclusivas no Brasil e na Alemanha.

Em Porto Alegre, a Profª. Klammer participou de um workshop sobre o tema na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), para professores e técnicos administrativos. O evento foi organizado conjuntamente entre a Secretaria de Relações Internacionais (RELINTER), sob direção do Prof. Nicolas Maillard, e a Coordenadoria de Acompanhamento do Programa de Ações Afirmativas, chefiada pela Profª. Luciene Simões. Houve ao redor de 40 participantes que trocaram muitas ideias e experiências sobre este e outros temas relacionados, como a legislação de cotas ou como lidar com os “first generation students” ou os refugiados na universidade. Na parte da tarde, Profª. Klammer foi ainda recebida pelo Prof. Rui Vicente Oppermann, atual Vice-Reitor e Reitor eleito da UFRGS a partir de outubro deste ano.

De 3 a 7 de outubro de 2016, as academias de ciências do Brasil e da Alemanha e o Centro de Água e Pesquisa Ambiental (ZWU) da Universidade de Duisburg-Essen (UDE) realizarão o workshop "Como queremos viver amanhã? - Perspectivas para o uso da água nas regiões urbanas". No evento, grupos de jovens cientistas debaterão os problemas e desafios para a gestão de recursos hídricos em áreas urbanas. O objetivo é elaborar um documento que será encaminhado a gestores e formuladores de políticas públicas, agências de fomento e instituições científicas relevantes com o propósito de contribuir para o aprimoramento da gestão de recursos hídricos.

Ainda até 31 de julho é possível se inscrever para participar dos grupos de debate. Os candidatos devem ser doutores com até 40 anos de idade com domínio da língua inglesa. Para participar da seleção, é preciso enviar o currículo (ou link do Lattes), uma carta de recomendação e uma carta da instituição em que trabalha autorizando a viagem a: vvieira@abc.org.br. A organização do evento cobrirá os custos de passagem e hospedagem dos selecionados, dos quais será cobrado apenas o seguro de viagem.

Mais informações: http://www.abc.org.br/article.php3?id_article=7876

Em junho o novo diretor científico do escritório para América Latina da UA Ruhr visitou o Brasil. Prof.-Dr. Ing. Rüdiger Deike atua na área de Engenharia Metalúrgica e é um especialista na área de reciclagem de metais e uso sustentável de recursos. Na viagem, esteve primeiro em Minas Gerais para sondar possíveis cooperações com empresas de médio porte. No Rio de Janeiro, Prof. Deike conversou com os diretores do Serviço Alemão de Intercambio Acadêmico (DAAD) e da Câmara de Comércio Brasil-Alemanha (AHK). Especialmente produtivas foram as conversas no Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde Deike foi acompanhado pelo Prof. Dr. Leonardo Sales Araújo. Graças as afinidades temáticas e metodologias, foram idealizadas futuras cooperações em pesquisa e um intercâmbio de cientistas com o instituto de Engenharia Metalúrgica da UDE.

Primeiro as meninas, na modalidade futebol society, depois os meninos, no campo grande. Os times de futebol universitário de Bochum, há anos uma potência nacional, conquistaram mais dois títulos. No início de junho, em Wiesbaden, as meninas da Wettkampf-gemeinschaft (WG) Bochum fizeram um belíssimo torneio e, sem derrota alguma, ganharam a final contra a WG Würzburg por 2x0.

No final de junho foi a vez do time masculino vencer o torneio nacional (jogado em Bochum). Na final, o “RUB11” venceu a Universidade de Tübingen por 3x0, depois de um 7x1 contra a Universidade de Stuttgart nas semifinais. O time conquistou o seu oitavo título nacional e vai representar, de novo, a Alemanha nos "European University Games" que acontecerão de 11 a 20 de julho na Croacia. Assim, a RUB11 pode tentar defender o título europeu que ganhou nos jogos de 2014 em Rotterdã (Holanda).

O nome abreviado do novo prédio é fácil: “ZEMOS”. O que significa (já um pouco menos fácil): “Zentrum für molekulare Spektroskopie und Simulation solvens-gesteuerter Prozesse”. Este é o nome oficial do novo prédio que a Ruhr Universität Bochum (RUB) acaba de ganhar. Em português seria: “Centro para espectroscopia molecular e simulação de processos solventes”.

O nome complicado esconde processos aparentemente simples e bem quotidianos. Ferver café ou dissolver um analgésico em água são processos solventes, mas claro que a complexidade e as aplicações são quase infinitas. Assim, no ZEMOS haverá análise e simulação dos processos e das novas sustâncias que surgem, para entender melhor as interações complexas entre o solvente o e dissolvido, ao nível molecular. O ZEMOS também será a nova casa do cluster de pesquisa RESOLV (Ruhr Resolves Solvation), que desde 2012 está sendo financiado pela iniciativa de excelência do governo alemão. Prof. Dr. Martina Havenith, Diretora de RESOLV, alegrou-se muito: “Este novo prédio é um sonho – e vai abrir muitos novos caminhos na pesquisa”.

A obra custou 44 milhões de euros e foi financiado pelos governos Federal e do Estado de Nordrhein-Westfalen, respectivamente pela metade. Além dos 20 grupos de trabalho na RUB, o ZEMOS também hospedará cientistas dos Institutos Max Planck em Mühlheim/Ruhr e Düsseldorf e do Insitituto Fraunhofer, em Oberhausen.

Maiores informações: http://www.ruhr-uni-bochum.de/solvation/

Recentemente, as áreas de Química e Engenharia Química da TU Dortmund tiveram um sucesso espetacular junto ao ERC – European Research Council. Na Faculdade de Engenharia Bioquímica e Químicas, Prof. Sebastian Engell recebeu um “Advanced Investigator Grant” de 3,5 mi. de Euros, junto com um colega da Universidade de Heidelberg, para sua pesquisa sobre “Model-based Optimizing Control – from vision to industrial reality”. Na Faculdade de Química e Química Biológica, Prof. Guido Clever ganhou um “Consolida-tor Grant”, dotado de 2 mi. de Euros. O recurso vai para seu projeto RAMSES, o que significa “Reactivity and Assembly of Multifuncional, Stimuli-responsive Encapsulation Structures”. Clever trabalha com desenho e síntese de caixas em nano-escala, para aplicações em catálise, nano-medicina e ciências materiais.

Com estes prêmios, a TU Dortmund se confirma entre as universidades alemãs mais fortes em Química, Bioquímica e Engenharia Química. Prof. Engell ainda é o presidente do Conselho de Internacionalização da TU Dortmund e mantém também contatos de trabalho no Brasil, nas Universidades Federais da Bahia e do Rio Grande do Sul.

Os temas são: Síntese de nanomateriais, desenho de novos ligamentos metalúrgicos ou novas tecnologias de produção, entre outros. Resumindo, o leque é tão amplo quanto a “Materials Chain” - “cadeia de materiais” - em si. Agora, pela primeira vez desde sua criação como área prioritária de pesquisa conjunta, as três universidades da UA Ruhr organizam uma grande conferência internacional dedicada ao tema.

A conferência ocorrerá nos dias 31 de maio e 1º de junho na Ruhr-Universität Bochum (RUB). Serão aproximadamente 200 pesquisadores de 11 países e 47 palestras distribuídas nas sessões „Discovery“, „Engineering“, „Production“, „Characterization“, „Modelling and Simulation“ „Data Science“ e „Transfer”. “Hoje em dia, a chave para a pesquisa de ponta está na cooperação entre os grupos de trabalho, entre as disciplinas e entre as universidades”, enfatizam Prof. Ralf Drautz, Diretor do “Interdisciplinary Centre for Advanced Materials Simulation”, da RUB, e Prof.-Ing. Stephan Barcikowski, Diretor do “Centre for Nanointegration Duisburg-Essen”, da Universidade Duisburg-Essen.

A área prioritária “Materials Chain” da UA Ruhr reúne a expertise de quase 200 grupos de pesquisa em toda a região do Ruhr, de jovens talentos até pesquisadores consagrados. Além das três universidades da UA Ruhr, inclue também instituições extra-universitárias como o Instituto Max Planck para Pesquisa de Carvão em Mühlheim/Ruhr.

Em 11 de maio foi realizado o terceiro “Encontro regional” de bolsistas do programa “Ciência sem Fronterias” (CsF), organizado conjuntamente entre o Consulado-Geral do Brasil em Frankfurt e a Universidade Duisburg-Essen (UDE). Mais de 40 bolsistas, predominantemente estudando em universidades em Nordrhein-Westfalen, participaram do encontro cujo tema foi “Oportunidades de Estágio na Alemanha”.

Durante o dia, houve dicas para conseguir estágio ou lançar sua candidatura por parte de especialistas como Andrea Podschadel, do Career Service da UDE, e de Pedro Sousa, da equipe CsF do DAAD (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico) em Bonn. Por outro lado, Nico Gerstenberger e Janaina Brum da Thyssen Krupp Steel frisaram o interesse de empresas globais em estudantes com experiência internacional, e explicaram possíveis entradas e passos de careira na empresa. Também participaram do encontro o novo diretor científico do escritório América Latina da UA Ruhr, Prof. Dr.-Ing. Rüdiger Deike, e o coordenador do escritório no Brasil, Dr. Stephan Hollensteiner.

Veja mais: http://www.derwesten.de/staedte/duisburg/universitaets-verbindungsbuero-wirbt-in-brasilien-um-studenten-id11840664.html

A “Worldfactory”, a incubadora para empreendedorismo e start-ups da Ruhr Universität Bochum (RUB), abriu novo espaço. O “UFO” (abreviação alemã para OVNI– Objeto Voador Não Identificado ) será a nova casa para todos os estudantes e doutorandos que procuram a transferência de seus conhecimentos para o mercado, experimentar (juntos) novas ideias de aplicação ou fundar sua própria empresa. O novo espaço, que abriga muitas ofertas de apoio e assistência, foi inaugurado com uma palestra e um workshop de Burton Lee, professor de inovação e empreendedorismo da Stanford University. Em entrevista, Burton Lee foi otimista em relação à nova paisagem de inovação que está surgindo: “A região do Ruhr tem um potencial enorme; o Centro de Pesquisa para segurança na TI da RUB (Horst-Götz-Institut) é uma verdadeira joia e vai acelerar as mudanças ainda mais.”

Mais informações: http://www.ruhr-uni-bochum.de/worldfactory/index.html

Entrevista com Burton Lee na „Westdeutsche Zeitung“ (em alemão): http://www.derwesten.de/politik/stanford-professor-zu-wenige-praktiker-an-den-nrw-unis-id11746722.html

No mais recente ranking das melhores universidades “jovens” (com até 50 anos), produzido pela revista especializada “Times Higher Education”, duas universidades da UA Ruhr subiram de maneira significativa. A Universidade Duisburg-Essen (UDE) avançou 42 posições e está agora no 17° lugar enquanto a TU Dortmund conseguiu pela primeira vez entrar no ranking, ocupando o 39º lugar. A Ruhr-Universität-Bochum (RUB), que nos anos anteriores ocupava posições entre 25° e 60°, deixou de fazer parte do ranking por completar 51 anos de existência, em 2016.

Professor Ulrich Radtke, o Reitor da UDE, qualificou o resulta como “sensacional” e “um grande incentivo para continuar no caminho da excelência”. As universidades da UA Ruhr fazem parte do grupo bem forte das universidades alemãs, que ocupam 8 das 50 melhores posições do ranking. O ranking THE das “jovens” universidades foca menos em itens como prestígio ou tradição, mas sim em qualidade do ensino e da pesquisa (por exemplo pelo número de publicações e citações científicas) como também a perspectiva internacional e os fomentos advindos da indústria.

Para mais detalhes: www.timeshighereducation.com

nrwision, a emissora educativa do Estado de Renânia do Norte-Westfália e da TU Dortmund, acaba de lançar uma série bem especial: „All inclusive“. Não é um programa sobre pessoas com necessidades especiais, mas um programa feito com e por elas. São elas que contam de sua vida, seu trabalho e como vêm lidando com seus desafios. Como, por exemplo, Nadine Sperling, uma estudante cega que afirma: „Deste o primeiro dia, percebi a minha doença como chance, não como defeito ou derrota.“ No total são treze conversas, entre outras com o humorista Rainer Schmidt e Sandra Mikolaschek, cadeirante e campeã alemã de pingue-pongue.

As entrevistas foram guiadas por estudantes do Instituto de Journalismo da TU Dortmund, treinando suas técnicas de entrevista e moderação, que no uso de métodos adequados foram apoiadas pela Faculdade das Ciências da Reabilitação. Esta faculdade recentemente recebeu a visita da encarregada do Governo Federal por pessoas com necessidades especiais, Verena Bentele, que ficou impressionada e encantada pelas muitas atividades de inclusão na TU Dortmund.

Até final de junho haverá semanalmente um novo episódio de “All inclusive”, exibida várias vezes durante a semana. Todos os episódios estão acessíveis na midiateca da nrwision.

Melhorar a segurança no cyberspace e lidar melhor com os desafios da sociedade por meio de diversidade religiosa. Esses são os temas de dois novos programas de doutorado que serão financiados pelo Ministério de Inovação, Ciência e Pesquisa do estado de Rhenania do Norte-Westfália. Serão quase cinco milhões de Euro de fomento, para os próximos quatro anos e meio. Ambos colégios terão não somente caráter interdisciplinar, mas também parceiros da área de aplicação profissional, além de colegas da Universidade de Münster e da Univerisidade de Ciências Aplicadas de Dortmund. A ideia é contribuir para solucionar os grandes problemas atuais da sociedade, marcados pela onipresença da internet e das redes virtuais, mas também por ondas migratórios e conflitos religiosos.

Pela segunda vez, a Ruhr-Universität Bochum (RUB) abriu um edital para duas semanas de “match-making” para pesquisadores internacionais no nível pós-doc, este ano na primeira metade de julho. São 14 vagas junto a professores-titulares, principalmente nas áreas das ciências exatas e nas humanas e sociais. Os escolhidos poderão conhecer de perto institutos, professores e facilidades de pesquisa na RUB para descobrir se ela será o lugar da sua próxima estadia de pós-doutorado.

Os candidatos devem se candidatar até 1° de maio, esta vez diretamente aos futuros anfitriões. Passagem, refeições e hospedagem em Bochum serão pagos pela Research School, a Graduate School interdisciplinaria da RUB. Durante a estadia, haverá workshops sobre como conseguir fomento para um pós-doutorado. A viagem não significa uma vaga na RUB, mas permite conectar cientistas com institutos e professores. Há preferência para candidatos que concluíram seu doutorado nos últimos 12 meses.

Mais informações, incluindo o formulário de candidatura: http://www.research-school.rub.de/rsplus_rer0.0.html

Mais de um milhão de refugiados chegaram à Alemanha em 2015. De repente, a miséria e o sofrimento humano (que muitos alemães pouco conheciam) ficaram mais próximos. Como lidar com tantas pessoas, e como lidar com um clima que, após muita ajuda e solidariedade, esta ficando mais crítico frente à política de acolhida? Falando em termos mais gerais, os países mais ricos, como a Alemanha, não são obrigados a ser solidários e prestar ajuda?

Essas e outras perguntas foram debatidas no Congresso Internacional “Why people migrate?” na Ruhr-Universität Bochum (RUB). O evento foi organizado entre as três universidades da UA Ruhr, junto com o Instituto de Estudos Avançados nas Humanidades (KWI Essen), e reuniu quase 50 filósofos, cientistas sociais e juristas. O congresso foi o primeiro evento público de um projeto conjunto de pesquisa sobre a “Ética da migração”, que tenta elaborar uma compreensão mais exata sobre o direito universal da “circulação livre”. Além disso, tenta explorar quem pode ser acolhido, mas também rejeitado – partindo da premissa de que o debate sobre a circulação deve considerar também as razões empíricas das migrações atuais e suas restrições. O projeto é financiado pela Fundação Mercator até meados de 2018 e coordenado por Andreas Niederberger, Professor titular de Filosofia Política na Universidade Duisburg-Essen.

Acompanhando a temática, a RUB abriu uma exposição de fotos no “Blue Square”, centro de atividades da RUB no centro de Bochum. As fotos são de Julia Gorlt, formada na RUB. Em 2014, em missão da “National Human Rights Commission of Thailand”, ela visitou o campo de refugiados de Mae La na fronteira entre Tailândia e Burma. As 35 imagens em preto e branco expostas foram realizadas junto como o fotógrafo Soung Poe, quem mora no campo há mais de 20 anos.

A Universität Duisburg-Essen (UDE) e a Ruhr-Universität Bochum (RUB) fundaram um dos maiores e mais potentes Institutos de Estudos sobre a Asia do Leste. Na “Alliance for Research on East Asia” (AREA Ruhr) cooperam a Faculdade para os Estudos da Ásia do Leste da RUB e o Institute of East Asian Studies (IN-EAST) da UDE. Juntos são mais de 20 professores e um amplo leque de temas de pesquisa, que abrange as áreas de Historia, Linguística e Ciências da Religião, como de Economia, Sociologia e Relações Internacionais. O objetivo da nova aliança é aprofundar a pesquisa e o ensino sobre a Ásia do Leste na UA Ruhr, para criar efeitos de sinergia e de excelência entre cientistas e instituições envolvidos. Os primeiros codiretores de AERA Ruhr são o economista Werner Pascha (UDE) e o cientista político Jörn-Carsten Gottwald (RUB). Um das primeiras inovações será criar o novo curso de mestrado internacional “Transnational East Asian Studies: Identities and Institutions”. Também está sendo criado o novo programa de doutorado estruturado „Transnational Institution-Building and Transnational Communities in East Asia“.

https://www.uni-due.de/in-east/

http://www.ruhr-uni-bochum.de/oaw/en/index.shtml

O setor „Estudos e necessidades especiais” da TU Dortmund (sigla “DoBuS”) foi premiada pela ONG “Zero Project” por suas medidas de inclusão e igualdade de oportunidades. A distinção, neste ano recebida por somente três universidades, foi durante uma conferência de Zero Project em Viena (Austria). Dr. Birgit Rothenberg, Diretora de DoBuS, ficou feliz que os esforços da TU Dortmund para uma didática e universidade “sem barreiras” (que começaram em 1977) tenham sido reconhecidos também internacionalmente. Zero Project foi fundada em 2013 e constitui uma plataforma para soluções inovadoras (até hoje mais de 300) para um mundo sem obstáculos a pessoas com necessidades especiais. Patrocinada pela ONU, a conferencia teve como tema „Educação inclusiva e tecnologias da informação” econtou com aproximadamente 400 participantes. http://zeroproject.org/

Neste ano, durante o mês de julho, acontece pela 24 a. vez o “International Summer Program” (ISP) da TU Dortmund. O curso de verão (na perspectiva alemã) é oferecido em duas versões, uma focada nas Engenharias (A), outra nos Estudos Europeus e Germânicos (B). Estudantes de universidades parceiras da TU Dortmund (convênio existente) terão preferência para serem admitidos. A taxa para o curso é de 1450 Euro incluindo, aparte as aulas, hospedagem, plano de saúde e transporte público. O prazo de inscrição encerra-se o dia 12 de fevereiro de 2016.

Prof. Dr. Ulrich Radtke, Reitor da Universidade Duisbug-Essen, foi eleito „Executivo Universitário do Ano 2015“. A distinção surgiu de uma pesquisa realizada pelo „Centrum für Hochschulentwicklung - CHE“ (Centro para Desenvolvimento Universitário) e o jornal semanal DIE ZEIT, acrescentada por um voto de expertos independentes. Foi julgado como reitores de universidades alemãs assumem sua responsabilidade de liderança e gestão. “Com seu estilo participativo, transparente e eficiente, o Reitor Radtke contribui muita para que a UDE tenha evoluído a uma universidade de pesquisa bem-sucedida“, avaliou o CHE. Segundo o júri, Radtke soube lidar com os recursos de curto prazo “criativa e equilibradamente”, sem deixar de oferecer boas perspectivas aos talentos acadêmicos e jovens pesquisadores. Svenja Schulze, Secretária de Ciência e Inovação do Estado de Renánia do Norte-Vestfália (NRW), ressaltou em seu elogio que a UDE criou uma “comunidade acadêmica colorida e diversificada” exemplar. Para Radtke, „justiça educacional“ sempre tem sido um tema central para as universidades da UA Ruhr: „Quase a metade de nossos estudantes são os primeiros acadêmicos de suas famílias“. Em 2008, a UDE foi a primeira universidade alemã a criar uma Pró-Reitoria de „Diversity Management“, também para apoiar os chamados “first generation students”.

Prof. Ulrich Radtke tem 60 anos e cursou geografia, biologia e história. Doutorou-se e fez livre-habilitação em Geografia Física, com pesquisas sobre “Terraços marinos e variações do nível de mar na Argentina e no Chile”. Antes de ser Reitor da UDE, desde 2007, foi Decano da Faculdade de Matemática e Ciências Exatas, da Universidade de Colônia (Köln). Em 2011, Radtke visitou o Brasil e assinou convênios de cooperação com a CAPES, a Universidade de Brasília e a Universidade Federal do ABC, para toda a UA Ruhr.

As universidades da UA Ruhr conseguiram novo fomento para continuar com projetos inovadores para melhorar o ensino até 2020. Os recursos provêm do programa “Pacto de qualidade no ensino universitário”, cofinanciado entre os governos federais e estaduais da Alemanha.

Na Ruhr Universität Bochum (RUB), os projetos inStudies e ELLI serão de novo financiados com até 15 milhões de euros. inStudies ajuda os estudantes a desenvolverem o seu perfil individual, também fora do próprio curso, incluindo estágios profissionais e estadas no exterior. ELLI, coordenado pela RUB e implantado também nas Universidades Técnicas de Dortmund e Aachen, significa: Excellentes Lehren und Lernen in den Ingenieurwissenschaften, isto é "Ensino e aprendizagem excelentes nas Engenharias".

Desde 2011, laboratórios foram conectados, currículos aperfeiçoados e muitas experiências trocadas. Para os estudantes, há assistência nas fases de transição tanto entre colégio e universidade quanto entre esta e mercado profissional. Com o novo fomento, estes instrumentos serão aperfeiçoados e haverá novas ações na área de empreendedorismo (entrepreneurship). “Também vamos intensificar a trocar as nossas ideais e experiências com outras universidades”, explica Prof. Marcus Petermann, coordenador científico de ELLI.

A Universidade Duisburg-Essen recebeu sinal verde para a continuação do projeto “Justiça Educacional em Foco” (Bildungsgerechtigkeit im Fokus). Várias medidas já foram criadas para fomentar o sucesso acadêmico dos estudantes logo após eles entrarem no curso, independente da sua origem (muitas vezes não acadêmica). Foi implantado um sistema de tutores e mentores, em toda a UDE, ofertas de blended-learning e centros para auto-aprendizagem. Nos próximos anos estas medidas serão melhoradas e mais conectadas. Os currículos serão otimizados para permitir mais flexibilidade, no intuito de atender melhor os talentos e as necessidades dos estudantes. "O novo fomento é um sucesso fantástico”, alegra-se Prof.a Isabell van Ackeren, Pró-reitora de Estudos e Ensino.

No quarto edital do programa „Global Young Faculty“ (GYF), financiado pela Fundação Mercator, foram selecionados 50 jovens pesquisadores das três universidades da UA Ruhr. Cada um dos premiados vai dispor, nos próximos 18 meses, de aproximadamente dez mil euros para realizar projetos científicos. Sem outras pré-condições, os bolsistas atuam em todas as ares da ciência e trabalham em quatro grupos interdisciplinares: sociedade digital, universidade comunicativa, espaços públicos, liberdade e limites da pesquisa. Entre os selecionados desde ano encontra-se também a brasileira Glaucia Peres da Silva da Universidade Duisburg-Essen. Formada pela Universidade de São Paulo, em Ciências da Comunicação (Graduação) e Sociologia (Mestrado e Doutorado), ela é Professora Adjunta no grupo de trabalho da Profa. Sigrid Quack sobre sociologia comparativa.

O objetivo do GYF é promover jovens talentos acadêmicos na região do Ruhr. Com o fomento, os premiados formam redes, organizam eventos e simpósios e publicam seus resultados. Cada bolsista recebe também um orçamento para viajar ou para convidar colegas da Alemanha ou do exterior. Desde 2009, GYF já tem fomentado 200 jovens pesquisadores, com volume total de 1,75 milhões de euros. Os grupos de trabalho dos primeiros anos dedicaram-se a temas como “Sistemas de saúde”, “Aceitação social de novas tecnologias” e “Mudanças na identidade da região do Ruhr. „Biólogos, sociólogos ou engenheiros podem pensar de forma diferente, mas muitos gostam de pesquisa comum e interdisciplinar. Interconectados, surgem ideias inovadoras para os pequenos e grandes desafios do nosso tempo, mas também para futuros projetos“ explica Prof. Dr. Winfried Schulze, Diretor do Mercator Research Center Ruhr.

GYF é uma iniciativa conjunta da Fundação Mercator e da Aliança Universitária do Ruhr, coordenada pelo Mercator Research Center Ruhr. Maiores informações: http://www.global-young-faculty.de

Como muito outras universidades alemãs, as nossas também lançaram programas emergenciais para atender aos estrangeiros que estão chegando semanalmente à Alemanha com o objetivo de pedir asilo. Entre eles muitos são universitários que interromperam a faculdade em seus países de origem ou estudantes prestes a iniciar uma vida acadêmica.

Na Universidade Técnica de Dortmund (TU Do) e na Ruhr-Universität Bochum (RUB), refugiados são aceitos “ad-hoc” como alunos ouvintes em várias faculdades sem ter que pagar taxas administrativas ou preencher pré-requisitos formais. Na Faculdade de Informática da TU Do, um website em quatro línguas, incluindo árabe e persa, foi criado e novos cursos em inglês são oferecidos.

Na RUB, sob o lema “Offener Hörsaal” (“Auditório Aberto”), 35 estudantes de nove nações (cerca da metade oriundos da Síria) realizam de graça curso de engenharia ou de ciências exatas assim como curso de alemão. Todos os participantes estavam inscritos em uma graduação em seus países de origem e agora se preparam para uma vaga regular.

A Universidade de Duisburg-Essen (UDE) também criou um site especial para atender aos refugiados, com opções para quem ainda frequenta a escola até para quem já concluiu a faculdade. A UDE oferece possibilidades para seguir com os estudos, cursos para qualificação e atividades esportivas.

Através do programa OnTOP| UDE, financiado pela Fundação Mercator, refugiados recebem suporte para reconhecer o diploma universitário de seu pais de origem na Alemanha.

Também estão abertas a refugiados as ofertas do TalentKolleg Ruhr para qualificação profissional e acadêmica, assim como as aulas de acompanhamento a estudantes de ensino médio que pretendem realizar uma faculdade. Na RUB, ao redor de 500 estudantes ajudam refugiados a solucionar problemas do dia a dia, como ida a repartições públicas, visitas ao médico e tradução de documentos. Na área de ensino de Alemão como Língua Estrangeira, mais de 100 voluntários estão sendo formados para que possam dar brevemente cursos a refugiados.

Com a virada do mês, uma época terminou na RUB, abrindo caminho para um novo começo. O biólogo Elmar Weiler – quem foi Reitor da RUB durante nove anos e impulsionou o desenvolvimento da RUB com muito sucesso, incluindo o cluster de pesquisa e a Graduate Research School, ambos com fomento da iniciativa de excelência universitária, deixou o cargo. O seu sucessor, eleito pela assembleia da universidade em junho, é Axel Schölmerich, catedrático de psicologia e ate então Presidente do Senado da Universidade. Junto com a troca no comando, dois pró-reitores também mudaram. Prof. Uta Hohn, da Faculdade de Geografia, é a nova Pró-Reitora de Planejamento e Estruturas; Kornelia Freitag, Professora de Letras Americanas, a nova Pró-Reitora de Ensino e Qualificação. O físico Andreas Ostendorf continuará como Pró-Reitor de Pesquisa e Transferência. Em breve, a nova equipe diretiva da RUB estará completa: A nova Pró-Reitora administrativa e financeira, Dr. Christina Reinhardt, assumirá no dia 1 de dezembro.

Prof. Thorsten Holz, Catedrático para Segurança de Redes na Faculdade de Engenharia Elétrica e Tecnologia da Informação, na Ruhr Universität Bochum, foi convidado para proferir palestra no “4. Diálogo Brasil-Alemanha em Ciência, Pesquisa e Inovação”, que aconteceu em final de setembro de 2015. Nesta edição do “Diálogo”, dedicada ao tema “O futuro da tecnologia da informação e o nosso futuro”, ele falou sobre “Smartphones as a (socially) enabling technology”. Com mais de 80 publicações (“peer-reviewed”) e o prêmio Heinz Maier-Leibniz, conferido pela Sociedade Alemã de Pesquisa (DFG), em 2011, o Prof. Holz é um das mais reconhecidos expertos e atalementte também é diretor do “Horst Görtz Institute for IT Security”, com mais de 50 colaboradores, em Bochum. Com o HGI, a RUB tem construído uma expertise extraordinária, sendo hoje a única universidade alemã a oferecer cursos de graduação, mestrado e doutorado, dedicados exclusivamente ao tema. Holz aproveitou a vinda ao Brasil para outras visitas com o intuito de intensificar existentes e encaminhar novas cooperações. Concretamente, foi conhecer o trabalho de cert.br, uma ONG para registro e segurança de dados. Ainda foi trocar ideias com colegas na Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo, e na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Depois de alguns meses de trabalho, a parceria entre a AHK Brasil-Alemanha e a Universidade Técnica de Dortmund deu resultado: O primeiro “Manual teuto-brasileiro de inclusão – Vivir a diversidade (Título em alemão: “1. Deutsch-Brasilianisches Inklusionshandbuch – Vielfalt leben!“). O livro, pelo qual uma colaboradora da TU Dortmund integrou durante quatro meses a equipe da AHK, apresenta um panorama atual da inclusão na Alemanha e no Brasil, nas áreas de educação, trabalho, cultura, esporte e mobilidade. A publicação, por enquanto disponível somente em alemão, foi apresentado no dia 30 de setembro durante um evento na Embaixada Brasileira em Berlim, em presença da encarregada federal par assuntos de pessoas com necessidades especiais, Verena Bentele.

O edital para duas semanas de “match-making” no nível postdoc na Ruhr Universität Bochum (RUB), lançado em julho/agosto deste ano, foi um grande sucesso. Mais de 90% das candidaturas veio de países da América do Sul, sendo a grande maioria do Brasil. 10 dos 12 selecionados, que tiveram passagem, visto e hospedagem em Bochum pagos pela RUB Research School , vieram de Brasil (6), Colombia (3) e Argentina (1). Assim, em início de outubro de 2015, os escolhidos conheceram institutos, professores e facilidades de pesquisa na RUB para planejar uma estadia de pós-doutorado. Com algumas universidades de origem dos bolsistas já existem relações de parceria com a RUB ou as outras universidades da UA Ruhr, como é o caso da UFABC, UFJF ou UnB, no Brasil, ou da Universidad Nacional de Colombia, em Bogotá. Torçamos para que saiam muitos e excelentes projetos conjuntos de pós-doutorado nos próximos anos.

As universidades da Aliança Universitária do Ruhr (UA Ruhr) foram o destino de cinco representantes de universidades parceiras no Brasil, na segunda metade do setembro. A visita coletiva de quatro dias foi organizada pelo escritório da UA Ruhr no Brasil e pelos escritórios internacionais das três universidades. Os objetivos, eram múltiplos: conhecer os colegas e as instituições, idealizar novos projetos de cooperação e intensificar os existentes, harmonizar os processos administrativos, etc. Participaram os seguintes parceiros brasileiros: UDESC (Universidade do Estado de Santa Catarina), UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Norte), UFABC (Universidade Federal do ABC), UFF (Universidade Federal Fluminense) e UnB (Universidade de Brasília).

Os visitantes foram introduzidos à região através de una visita ao Ruhrmuseum na “Zeche Zollverein”, patrimônio UNESCO da humanidade. Na sequencia, um dia foi dedicado a cada universidade, onde foram visitadas algumas das muitas instituições de excelência – como o CENIDE (Centre for Nano-Integration Duisburg-Essen), RUB Research School o u Dortmund Logistics Campus. Também houve muito tempo para conversar y trocar ideias com os colegas dos escritórios internacionais e das faculdades o com outros interessados em cooperar com o Brasil. „Conhecer melhor a UA Ruhr foi uma experiência muito enriquecedora e produtiva, que possibilitou transformar impressões e contatos pessoais em relações institucionais. Desta forma esperamos poder ampliar, aprofundar e perenizar as nossas ações conjuntas“, declarou Prof. Nicolas Maillard, Secretário de Relações Internacionais da Universidade Federal do Rio Grande os Sul (UFGRS). Ele acrescentou ainda: “Foi especialmente interessante descobrir a amplitude de ações nas três universidades: mobilidade estudantil, pesquisa de ponta, extensão, inovação tecnológica, integração social".

Em julho de 2015, houve o já terceiro encontro entre pesquisadores e docentes da Universidade Duisburg-Essen (UDE) e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), nas áreas de logística e engenharia de transporte. Após duas vezes em Duisburg, foi a vez de Rio de Janeiro. Prof. Dr.-Ing. Bernd Noche, Diretor científico do Centro de Logística e Transportes (ZLV) da UDE e Dipl.-Ing. Cyril Alias, coordenador da parceria com a UFRJ, estiveram uma semana no Brasil onde foram recebidos pelo Prof. Dr.-Ing. Rômulo Dante Orrico Filho e seus colegas do Programa de Engenharia de Transportes (PET), do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-graduação e Pesquisa em Engenharia (COPPE).

Os parceiros aprofundaram temas de pesquisa comum e planejaram futuras atividades, entro outras um convênio formal de cooperação específica. No âmbito do PET, Prof. Noche proferiu palestra sobre “Aplicações de simulação discreta nas áreas de transporte e logística“. Noche e seu anfitrião Orrico Filho palestraram também no “Fórum brasileiro-alemão de projetos e sistemas logísticos”, organizado em São Paulo pela Associação Brasileira de Logística.

Houve ainda visitas conjuntas a instituições relevantes e possíveis objetos de pesquisa. Foi visitado o Centro de Operações da Prefeitura do Rio de Janeiro, considerado referência em monitoramento de trânsito urbano, e a Autoridade Portuária de Santos, que já tem histórico de cooperação com Duisburg, que possui o maior porto fluvial na Europa. Para finalizar, Noche e Orrico Fiho conversaram com autoridades do Ministério de Transporte, em Brasília. Todos os interlocutores confirmaram a excelente reputação do ZLV da UDE, que por sua vez está muito feliz de contar com parceiro brasileiro tão destacado como o PET da COPPE/UFRJ.

A Ruhr Universität Bochum (RUB) organizará uma semana “match-making” para pesquisadores internacionais no nível pós-doc em início de outubro de 2015. Os candidatos devem se candidatar até 28 de agosto. Os escolhidos terão a possibilidade de conhecer institutos, professores e facilidades de pesquisa na RUB para descobrir se ela será o lugar da sua próxima estadia pós-doutorado.
Passagem, visto e hospedagem em Bochum serão pagos pela Research School, a graduate school interdisciplinária da RUB. Durante a semana, haverá um workshop sobre como conseguir fomento para um pós-doutorado na RUB. A viagem não significa uma vaga na RUB, mas permite conectar cientistas jovens com institutos e pesquisadores. Mais informações no website especial da Research School.

O "Center for Nanointegration Duisburg-Essen“ (CENIDE), da Universidade Duisburg-Essen, faz 10 anos. Desde 2005, conecta todas as atividades acadêmicas em torno das dimensões nano, tanto nas ciências exatas e de vida quanto nas engenharias. O CENIDE virou o centro dos „nano-people“ na UDE y, atualmente, abriga mais de 60 grupos de trabalho. As cooperações com especialistas externos fortalecem e complementam sua expertise, cuja área principal é a „nanoenergia“, isto é as aplicações da tecnologia nano para questões energéticas. Com o prédio NETZ „NanoEnergieTechnikZentrum“, inaugurado em março de 2013, o CENIDE tem um complexo singular para juntar pesquisa fundamental e aplicada. Em „linked facilities“ (laboratórios conectados e compartilhados), engenheiros, químicos e físicos pesquisam e desenvolvem juntos teorias, produtos e aplicações. A festa de aniversário acontecerá no dia 15 de julho, com palestra festiva proferida pelo Prof. Dr. Ferdi Schüth, Diretor do Instituto Max-Planck de Mühlheim/Ruhr e Vice-Presidente da Sociedade Max-Planck.

Na República Federal de Alemanha do pós-guerra, a Ruhr Universität Bochum (RUB) foi a primeira fundação de uma nova universidade com todas as áreas de conhecimento, surgindo da necessidade de criar mais oportunidades de educaçao superior no estado mais populoso (Renânia do Norte-Westfalia). As obras se iniciaram em janeiro de 1964, as primeiras aulas se deram em Novembro de 1965. Hoje je em dia, a RUB tem mais de 40 mil estudantes e aprox. 5.500 mil empregados, entre científicos, técnico-adminstrativos e quase 450 professores titulares.

Desde cedo a RUB tem se destacado em varias áreas. Inovou o ensino de línguas e a integração de “estudantes seniors” e foi pioneira na introdução do modelo curricular segundo o “processo de Bolonha” (3 anos de bacharelado + 2 anos de mestrado). Também adqueriu qualidade na pesquisa. Na “iniciativa pela excelência universitária”, em 2007 e 2012, a RUB foi prêmiada em duas linhas de fomento (research clusters, graduate schools). Segundo os recursos alocados pela Sociedade Alemã de Amparo à Pesquisa (DFG), a RUB esta entra as 20 melhores universidades alemãs, com destaque nas ciências de vida. Tambem figura entre as “100 melhores universidades com menos de 50 anos” (este ano pela última vez!), no ranking da revista “Times Higher Education”.

Na primeira metade de junho, a RUB celebrará o aniversário com muitas atividades e eventos especiais. Haverá a visita de muitas autoridades nacionais e internacionais, incl. o Presidente Federal Alemão, Dr. Norbert Lammert, sendo ele mesmo ex-aluno da RUB. Confira a programação e os destaques (muitos acessíveis on-line) no website RUB 50.

A UA Ruhr está presente em algumas paradas do “Joint Road Show CsF”, organizado pelo Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD) e as agencias de mobilidade acadêmica da Holanda (NUFIC) e França (Campus France). O tour visa na divulgação das oportunidades de estudo e pesquisa em vários países, pricipalmente no marco do programa de bolsas “Ciência sem Fronteiras” (CsF). A UA Ruhr participa em Brasília (12 de maio, UnB Faculdade de Tecnologia), Belo Horizonte (15 de maio, UFMG Prédio da Reitoria), Rio de Janeiro (UFRJ Campus Fundão, Auditório Roxinho) e Florianópolis (UFSC Campus Trindade, Centro de Cultura e Eventos). Mais informações sobre o roadshow na website do escritório do DAAD.

Como nos anos anteriores, o escritório da UA Ruhr participou do encontro anual do Fórum das Assessorias Internacionais de Universidades Brasileiras (FAUBAI – Associação Brasileira de Educação Internacional), que aconteceu em Cuiabá (Mato Grosso), em final de abril. Mais de 500 participantes – coordenadores internacionais de universidades e de agencias de fomento, do Brasil, da Europa e das Américas – debateram durante três dias vários aspectos e desafios na cooperação e mobilidade acadêmicas. Mais informações no site do FAUBAI

Cientistas da UA Ruhr contribuem para o diálogo teuto-brasileiro sobre inclusão. Desde início do mês, a pedagoga Rebecca Eisenberg se encontra em São Paulo para elaborar um relatório comparativo sobre o tema, sob orientação de Prof. Dr. Christoph de Oliveira Käppler (TU Dortmund, Ciências da Reabilitação). O relatório é cofinanciado pela Câmara Brasil-Alemanha e tratará das áreas de educação, trabalho, cultura, mobilidade e esportes, com foco especial no tema Paralympics e esportes para pessoas com necessidades especiais. Natural de Essen, Rebecca Eisenberg já estuda há muito tempo o tema e fez estágio num colégio para deficientes visuais. Depois de sua estadia no Brasil ele continuará seus estudos para ser professora em colégios para portadores de necessidades especiais.

Um grupo de estudantes e doutorandos de botânica da Ruhr-Universität Bochum (RUB) veio ao Rio de Janeiro com o intuito de fazer pesquisas de campo sobre a taxonomia da planta “Eriocaulaceen”, em determinadas lugares da Mata Atlântica. A viagem foi coordenada pelo Prof. Thomas Stützel, Catedrático para Evolução e Diversidade de plantas e Diretor do Jardim Botânico da RUB. Os viajantes visitaram os manguezais e a vegetação dos morros perto da cidade do Rio de Janeiro, antes de passar dois dias, respectivamente, em parques de proteção ambiental no norte do Estado do Rio de Janeiro e no sul de Minas Gerais. Há anos que o Prof. Stützel mantém projetos de cooperação com colegas no Brasil, principal-mente nas Universidades Federais do Rio de Janeiro (UFRJ), Uberlândia (UFU) e Minas Gerais (UFMG) assim como na Universidade Estadual “Júlio Mesquita Filho” de São Paulo (UNESP). Parceiro e coorganizador nesta excursão foi Marcelo Trovó, quem fez doutorado na RUB com bolsa da Fundação Alexander-von-Humboldt, e agora é professor na UFRJ.

No final do ano passado, o Escritório Regional do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD) escolheu, entre os ex-bolsistas do programa “Ciência sem Fronteiras” que estudaram na Alemanha, um time de “Jovens Embaixadores CsF”. Nos próximos meses, os onze escolhidos participarão de eventos de informação, ajudarão na divulgação do programa e assessorarão os futuros bolsistas na Alemanha. Conforma a grande número de bolsistas CsF recebidos, a UA Ruhr está muito presente nesta iniciativa do DAAD. Quatro novos “jovens embaixadores” estudaram em uma das universidades da UA Ruhr, três deles na Universidade de Duisburg-Essen. Ana Rosa Lima de Belém como Yuri Lemos de Oliveira Pinto e Tainá Motta do Rio de Janeiro estiveram um ano na UDE, Rafaele Secchi, natural de Chapecó, estudou um ano na Ruhr-Universität Bochum. Mais informçãoes sobre os jovens embaixadores na website do DAAD.

O escritório da UA Ruhr participou de vários eventos de marketing, durante o mês de novembro de 2014. Além de estar presente nas feiras de Lima (Perú) e Bogotá (Colombia), participamos de um “EU-Seminário” e da feira Europosgrados, que aconteceram em final de novembro de 2014 em São Paulo. Por ventura contamos com a presença de nossa colega Jane Kniffka, responsável pela América Latina no International Office da TU Dortmund. Também participamos do evento “Matchmaking para doutorandos”, organizado pelo DAAD anteriormente. Muitos interessados em fazer doutorado nas universidades da U Ruhr foram assessorados – vamos torcer para que alguns encontrem o caminho à nossa região.

Susanne Prediger, Catedrática para a Didática da Matemática na Universidade Técnica de Dortmund, foi convidada para proferir palestra no “3. Diálogo Brasil-Alemanha em Ciência, Pesquisa e Inovação”, que aconteceu em outubro de 2014. A Profa. Prediger é uma das mais renomeadas expertas da área e dirige também o “Instituto para Desenvolvimento e Pesquisa do Ensino da Matemática” (IEEM), em Dortmund, que é um dos maior do seu tipo na Europa. Ela aproveitou a vinda ao Brasil para outras visitas com o intuito de intensificar existentes e encaminhar novas cooperações. Concretamente, foi trocar ideias com colegas na Universidade Federal do ABC (UFABC) em Santo André e na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

A região do Ruhr figura como a mais ligada a futebol na Alemanha, seja em termos de tradição quanto de torcedores. São de lá o Borussia Dortmund e o FC Schalke 04, dois dos mais bem-sucedidos clubes alemães. Nada mais natural a Aliança Universitária da Região do Ruhr (UAR) se envolver em um projeto muito relevante para a cooperação teuto-brasileira no período pré-Copa: “O Pequeno Dicionário do Futebol Alemão e Brasileiro”.

Os seus autores são Élcio Cornelsen, professor de literatura alemã na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Martin Curi, antropólogo, autor e professor visitante na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), e Stephan Hollensteiner, cientista social e diretor do escritório para América Latina da UAR, que coordenou o projeto.

O livro apresenta, de forma bem-humorada, os 111 verbetes mais importantes sobre o futebol em ambos os países, e contém ainda um pequeno glossário dos jargões futebolísticos nas duas línguas.

Além do apoio da UAR, a obra foi patrocinada pelo Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD), pelo Instituto Goethe e peloo Consulado-Geral da República Federal da Alemanha.

Nas próximas semanas, o livro será lançado em três lugares:

- São Paulo: 15 de maio, 17h30, Biblioteca Mario de Andrade, no „II Simpósio Internacional de Estudos sobre Futebol“, organizado por USP/LUDENS. Palestra de introdução: Prof. Günter Gebauer, FU Berlin. Participantes da mesa-redonda, além dos autores: Christian Müller, DAAD; Christina Peters, FU Berlin; Flavio dos Campos, USP.

- Rio de Janeiro: 23 de maio, 19h, Instituto Goethe. Participantes da mesa-redonda, além dos autores: Gabriela Moreira, repórter da ESPN Brasil, e Peer Vorderwülbeke, correspondente da Radio Alemã ARD, no Rio de Janeiro. Título da noite: “Bananenflanke? Bicicleta? Histórias e curiosidades do Futebol no Brasil e na Alemanha”.

- Recife: 3 de junho, 19 h, Centro Cultural Brasil-Alemanha.

Onur Güntürkün, Professor e Pesquisador na área inovadora de “Biopsicologia” e professor na Ruhr-Universität Bochum, estará de visita no Brasil, a convite da Sociedade Alemã de Amparo à Pesquisa (DFG), de 19 a 23 demaio. A primeira escala será em São Paulo, onde proferirá uma “Palestra Leibniz” em 20 de Maio no auditório da FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). Outras palestras desse tipo, que visam um público mais amplo que o puramente acadêmico, acontecerão em 21 de maio, em Belo Horizonte, e 22 de maio, no Rio de Janeiro, onde ele realizará também um seminário junto com colegas e doutorandos na UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Prof. Güntürkün é um dos mais renomados cientistas, em nível internacional, da área interdisciplinar de biopsicologia/neurobiologia. Tenta descobrir como percepção, pensamento e comportamento surgem nos processos mentais e bioquímicos do cérebro, em homens e alguns animais. Em 2013, Prof. Güntürkün recebeu o prêmio “Gottfried Wilhelm Leibniz”, chamado também de “Prêmio Nobel Alemão”. O prêmio é dotado de até 2,5 milhões de euros e outorgado a cada ano pela DFG a cientistas internacionalmente destacados nas suas respectivas áreas. A “Palestra Leibniz” é um formato desenvolvido para titulares do prêmio. Seu objetivo é estimular o diálogo tanto com as comunidades científicas no exterior quanto com a sociedade no geral, através de palestras, seminários e visitas ao exterior.

Em 30 de maio, acontecerá em São Paulo um simpósio internacional sobre “Ciências Humanas e Sociais – dentro ou fora do jogo?” (Geistes- und Sozialwissenschaften: im Spiel oder im Abseits?). O evento esta sendo idealizado e organizado por Freie Universität Berlin, Cebrap (Centro Brasileiro de Análise e Planejamento), Instituto Goethe de São Paulo e UAMR. O objetivo é debater a relevância e os rumos atuais das Ciências Sociais e Humanas em um contexto de política de fomento que parece privilegiar as áreas exatas e tecnológicas. O evento conta com o apoio da “Temporada Brasil+Alemanha 2013/14” e terá a presença de renomados especialistas alemães e brasileiros (haverá tradução simultânea). A palestra inaugural fica a cargo de José Arthur Gianotti, um dos fundadores do Cebrap e professor emérito da USP (Universidade de São Paulo). A UAMR estará representada pela Profª. Susanne Fengler, Diretora do Instituto Erich Brost de Jornalismo Internacional, e pelo Prof. Christoph de Oliveira Käppler, Diretor Científico do Escritório para América Latina da UAMR, ambos da Universidade Técnica de Dortmund.

A Universidade Duisburg-Essen oferecerá uma “Summer School” em “Global and Transnational Sociology” de 16 de junho a 11 de julho de 2014. A ideia geral é entender os processos sociais atuais, além das fronteiras nacionais que dominam a maioria das teorias sociológicas e pesquisas empíricas, gerando novos conhecimentos sobre as dinâmicas e interações transnacionais. As temáticas específicas oferecidas em 2014 são: Globalização e Desigualdades, Governança Transnacional, Leituras Críticas em Globalização e Modernidade, Migração e Mercados Profissionais Transnacionais. Vários módulos são oferecidos em inglês e, portanto, acessíveis a estudantes e jovens pesquisadores de fora da Alemanha. Haverá possibilidade de alojamento nas residências estudantis. Também fazem parte do programa excursões a lugares culturais e históricos – tais como a antiga mina “Zeche Zollverein”, patrimônio da humanidade pela UNESCO – da região do Ruhr, primeira região industrial da Alemanha e desde então caraterizada por com grande variedade e densidade populacional. Mais informações no site: www.uni-due.de/soziologie/internationales_baplus.php

„Piano Inclusive“ é um conjunto musical que reúne profissionais e pessoas com necessidades especiais, apresentando música bem-humorada e inclusão posta em prática. O grupo veio a visitar o Brasil, de 22 de outubro até 2 de novembre de 2013, com fomento da Casa Civil e do Ministério de Trabalho e Integração do Estado da Renania do Norte-Vestfália (NRW), e da Temporada Brasil-Alemanha, através do Centro Alemão de Inovação e Ciência (DWIH) e apoiada pelo escritório de contato da UAMR. No Rio de Janeiro e em São Paulo, houve participações em workshops, apresentações junto a parceiros brasileiros e palestras da Profa. Dr. Irmgard Merkt, da Cátedra de Pedagogia musical da Faculdade de Ciências da Reabilitação da TU Dortmund, que refletiu o projeto e os seus efeitos pedagógicos. Foram intensificadas as parcerias com a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), a Universidade de São Paulo (USP) e a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE). Para finalizar o turnê, o grupo fez duas apresentações, uma no Auditório do Museu de Arte Contemporânea da USP, e uma no Centro Alemão de Ciência e Inovação (DWIH). Em todas as apresentações „Piano Inklusive“ mostrou ao público uma imagem diferente de pessoas com necessidades especiais e caminhos para uma sociedade inclusiva, que se sustanta no encontro pessoal e lúdico.

Assessores internacionais de seis universidades brasileiras participaram de uma viagem de informação às universidades da UAMR, de 15 a 18 de setembro de 2013, organizada por seu escritório de contato no Brasil. O objetivo da missão à convite da UAMR era conhecer de perto as universidades da UAMR – sendo elas: Universidade Duisburg-Essen (UDE), Universidade do Ruhr Bochum (RUB) e Universidade Técnica de Dortmund (TU DO) – para aprofundar o intercâmbio e a cooperação.

Após uma introdução à região do Ruhr, no Museu Ruhr/Zeche Zollverein, a delegação teve um programa intensivo de visitas e encontros. Além de conversas com vice-reitores e assessores internacionais das três universidades, foram visitadas as seguintes instituições (entre outras): Logistic Campus e Fraunhofer-Institut for Logistics and Material Flow em Dortmund, CENIDE Centre for Nano-Integration e Käte-Hamburger-Kolleg “Centre for Global Cooperation Research 21” da Universidade Duisburg-Essen, Jardim Botánico e Research School da RUB. Na TU Dortmund, a delegação participou ainda de uma recepção para mais de 50 bolsistas recém-chegados do programa „Ciência sem Fronteiras“ (CsF) e viu os muitos cuidados que eles estão recebendo na região. No total, as universidades da UAMR até agora já receberam quase 200 bolsistas do CsF, o que e o maior grupo em toda a Alemanha.

Na avaliação dos diretores do escritório ConRuhr e dos participantes – que representavam a UFABC, UFJF, UFMG, UFPR, UFPR e UNESP – a viagem deixou a todos muito satisfeitos. “As visitas e os contatos pessoais contribuirão fortemente para intensificar as nossas relações, novos convênios e um workshop conjunto em nanociências já estão sendo planejados”, resume Dr. Stephan Hollensteiner, chefe do escritório do UAMR. E com a viagem a UAMR e alguns dos seus parceiros brasileiros ficaram um pouco mais amigos.

As universidades que fazem parte da Aliança das Universidades da Região Metropolitana do Ruhr iniciaram em outubro de 2013 uma nova edição da "ScienceCareerNet Ruhr". O programa de desenvolvimento profissional para jovens cientistas apoia estudantes de doutorado e pós-doutorados a construirem uma carreira na área de ciências humanas ou na área indústria e comércio. A oferta inclui fórums de informação, treinamento em vários grupos, aconselhamento e acompanhamento o individual em consultas voltadas ao planejamento de carreiras, como também, às academias de primavera e de outono

Vários jornais e revistas de prestígio premiaram a UDE. Desta maneira, quatro cientistas da UDE conseguiram entrar no ranking atual dos 50 economistas mais influentes da Alemanha, segundo o jornal “Frankfurter Allgemeine Zeitung”. O jornal de negócios “Handelsblatt” vê a UDE em seu novo ranking entre as melhores faculdades de Economia no TOP 20 e destaca a capacidade de pesquisa na área de economia de empresas. No geral, a UDE conseguiu aumentar seus recursos para pesquisas nos últimos três anos em 150%. No ranking da “Times Higher Education” de 2013, a UDE aparece entre as 100 melhores do mundo, entre as universidades que têm menos de 50 anos de existência.

Em setembro, uma escola de verão internacional foi realizada no Instituto de Neuro-ciências da computação na Universidade de Ruhr Bochum. A tarefa foi transferir o sistema de funcionamento do cérebro humano para robôs com ajuda de formúlas matematícas. Os participantes, estudantes de doutorado e pós-doutorado, vieram de diferentes países europeus, para trabalhar interdisciplinarmente neste projeto. Nesta escola de verão, financiada pela União Europeia, ensinam também professores da Suíça e de Portugal

O grupo internacional de pesquisadores de excelência RESOLV (“Ruhr Explores Solution”) já obteve sucesso somente alguns meses depois de sua fundação: Por meio de uma espectroscopia de ressonância magnética nuclear, um problema teórico na determinação da estrutura do solvente pode ser esclarecido. RESOLV detectou que o acoplamento dos spins nucleares é dependente da frequência da radiação electromagnética utilizada em moléculas diferentes. Os resultados da pesquisa foi capa da revista cientifica “Angewandte Chemie” (”Quimica aplicada”). Mais informações sobre o trabalho da RESOLV em: www.ruhr-uni-bochum.de/solvation.

Cerca de 3,7 milhões de pessoas de todo o mundo viajaram ao Rio de Janeiro para a Jornada Mundial de Juventude em fim de julho. Uma equipe de pesquisadores da Universidade Técnica de Dortmund também foi ao maior encontro de jovens católicos, apoiada pelo Liaison Office da UAMR no Rio de Janeiro. Sob a supervisão do professor Hubertus Roebben do Instituto de Teologia Católica, foram entrevistados participantes da Jornada Mundial da Juventude sobre seus motivos para participar e sobre suas experiências durante o evento, antes e depois do encontro por meio de um formulário multilingue on-line. Além disso, alguns foram entrevistados pessoalmente durante a Jornada Mundial da Juventude. Até final de 2013, os resultados da pesquisa serão publicados. Para mais informações: www.wyd2013-research.de.

A TU Dortmund foi uma das oito universidades alemãs premiadas pela Fundação Alexander von Humboldt. A competição premia as melhores idéias para inclusão de ex-estudantes e pesquisadores. No conceito da TU Dortmund, os ex-alunos poderão participar de cursos de extensão no exterior. Para a realização desse projeto, a TU Dortmund recebe até 30 mil Euros. Atualmente, cerca de 500 pesquisadores internacionais estam atuando na TU Dortmund.

Eles vêm da América, Ásia e Europa e permaneceram por sete semanas para o “Programa de Verão Nano” do “Centro de Integração Nanociência” (CeNIDE) em Duisburgo como convidados. O CeNIDE é uma das colaborações mais importantes de investigação científica europeu com mais de 50 grupos de pesquisas de excelência nas diferentes áreas da nanotecnologia. A Nano-Escola de Verão é destinada a estudantes de engenharia avançada ou ciências exatas do todo o mundo.


Os onze estudantes estrangeiros acompanharam palestras, realizaram pesquisas em seus próprios projetos, visitaram institutos de pesquisa e empresas industriais - e poderam conviver com peculiaridades alemães. O CeNIDE, o qual existe desde 2005, recentemente mudou-se para o novo prédio do Centro de Nano-Energia-Tecnica (GRID).

O “Prêmio Comunicador - Ciência Award da Associação dos Doadores” foi neste ano para o físico Metin Tolan, professor da cadeira de Física Experimental I da TU Dortmund. O prêmio de 50 mil Euros da Fundação Alemã de Pesquisa (DFG ) é concedido a cientistas que conseguem repassar, de forma expecional, suas atividades científicas ao público. Metin Tolan concorreu e mostrou seu diferencial entre 49 finalistas de todas as áreas. Professor Tolan tem presença em várias mídia alemãs, e suas palestras não apenas são divertidas, mas também muito memoravéis: Através de cenas de filmes de James Bond ou episódios de Star Trek, o cientista demonstra a um vasto público fenômenos físicos de forma interativa. Metin Tolan, apesar de todo prazer e grande honra concebida, permanece modesto: “Na verdade eu recebi um prêmio praticando meu Hobby”.

Estudo

Temos de (quase) tudo! Veja aqui a oferta geral dos cursos de Graduação e Mestrado (em alemão) em cada universidade da UA Ruhr:


Aqui estão os links para cursos estruturados de Mestrado oferecidos em inglês (ou predominantemente em inglês), ordenados por áreas de conhecimento:

Pesquisa

As universidades das UA Ruhr abrangem muitos centros de pesquisa de renome internacional, mas também há vários institutos das Associações de Pesquisa Leibniz, Fraunhofer e Max Planck na região. Todos oferecem múltiplas possibilidades de cooperação. Confira!

Região do Ruhr

A Região do Ruhr, localizada no coração do estado de Nordrhein-Westfalen, é a maior aglomeração urbana da Alemanha, com cinco milhões de pessoas, de 170 diferentes nacionalidades. O que dá nome à região é o rio Ruhr, que a atravessa do leste ao oeste até desaguar no rio Rhein, em Duisburg. Devido à extração de carvão mineral e da proliferação de indústrias siderúrgicas, o "Ruhrgebiet" tornou-se a mais importante região industrial da Alemanha, a partir do século XIX. A demanda pela mão de obra levou à imigração de milhares de pessoas, sobretudo do leste europeu. Até então pequenos povoados como Essen, Bochum e Dortmund, localizados na antiga rota comercial “Hellweg”, de Colônia a Berlim, tornaram-se grandes cidades, étnica e culturalmente diversas. Sendo o centro do boom econômico dos anos 20 e das indústrias bélicas, a região sofreu muito com e entre as guerras. Foi ocupada e desindustrializada por tropas francesas e inglesas e, na Segunda Guerra Mundial, destruída por 90%.
Com o pós-guerra, vieram a reconstrução e o novo “milagre econômico”. Porém, em vista do esgotamento das reservas de carvão, a região iniciou uma mudança estrutural („Strukturwandel“), a partir dos anos 1970, para diversificar a base industrial e desenvolver áreas inovadoras. Ao lado dos setores químico, metalúrgico e energético, surgiram atividades em serviços, logística e cultura. Começou-se a investir maciçamente em ensino superior e pesquisa – e as universidades da UA Ruhr foram fundadas: a RUB em 1965, a TU Dortmund em 1968 e as universidades de Duisburg e Essen, em 1972. Também surgiram universidades de ciências aplicadas e alguns institutos de pesquisa, tanto da Sociedade Max Planck quanto da Sociedade Fraunhofer. Assim a região do Ruhr ostenta hoje uma das paisagens científicas mais ricas e diversificadas da Europa.
Através das décadas, a região do Ruhr tem mudado de caráter – e de visual. Antigas minas e fábricas foram transformadas em museu, parque ou centro cultural, sendo os mais famosos o “Landschaftspark-Nord” em Duisburg, a “Zeche Zollverein” em Essen e o “Dortmunder U”. Também o rio Ruhr mudou para melhor. Nos séculos XIX e XX, transportava matérias-primas e mercadorias – e foi degradado pelos esgotos industriais. Hoje em dia está novamente limpo e virou lugar de lazer, pesca e esportes aquáticos. Com tudo isto, a região tem um panorama cultural e turístico bem variado. São aprox. mil monumentos industriais, 200 museus, 120 teatros, 100 centros culturais e 90 salas – e ainda 250 festivais que acontecem sobre tudo no verão. O mais famoso é "Extraschicht" ("Turno especial") que oferece 180 eventos, acontecendo em sómente uma noite em 50 lugares antigamente industriais. Foi também graças a essa riqueza cultural que a região foi eleita “Capital Europeia da Cultura 2010”. Sob o lema RUHR.2010 houve ações e eventos em toda a região.

© Anneke Wardenbach, Stadt Dortmund

© Stadt Bochum, Referat für Kommunikation

Seguem alguns links úteis e interessantes para descobrir a região:


Saiba mais sobre as cidades da UA Ruhr:


Encontra-se no lado ocidental da Região do Ruhr e conta hoje com 490.000 habitantes. O acesso ao Reno aumentou sua importância, pois no porto embarcavam-se carvão e aço produzidos na região para toda Europa. Duisburg continua sendo um centro logístico, com conexão ferroviária até a Asia, e orgulha-se do maior porto fluvial do mundo. Outro símbolo importante é o antigo complexo industrial e hoje parque paisagístico ”Duisburg-Nord”, um dos pontos principais da Rota Europeia da Cultura Industrial. Mais informações: www.duisburg.de e https://www.youtube.com/watch?v=1e_dCBqXtTY

É hoje em dia, com aprox. 590.000 habitantes, a segunda maior cidade da região. O crescimento da cidade foi marcado pela fábrica de aço Krupp, fundada em 1811, que após várias fusões hoje é um dos gigantes mundiais no setor mecânica e metalúrgico. No boom do pós-guerra, Essen contou mais de 700.000 habitantes. O processo da mudança estrutural produziu uma paisagem econômica rica e diversificada. Essen continua sendo sede de grandes empresas como RWE, ThyssenKrupp ou EVONIK e virou centro dos serviços da região. Com a Filarmonia, o museu de arte “Folkwang” ou o cinema “Lichtburg”, Essen ostenta um panorama cultural rico e de alto nível. O símbolo da cidade é o antes complexo industrial “Zollverein”, transformado em espaçoso museu e centro de documentação, declarado patrimônio da humanidade pela UNESCO em 2001. Mais informações: www.essen.de, Essen: Tourismus e https://www.youtube.com/watch?v=af5OkSlelcQ

Localizado no centro da Região do Ruhr, Bochum conta com aprox. 360 mil habitantes. Após a reconstrução após a Segunda Guerra Mundial, o grande veículo da “transformação estrutural” foi à fundação da Ruhr-Universität Bochum, a primeira universidade alemã do pós-guerra. O grande número de estudantes na cidade contribui muito para uma paisagem cultural dinâmica e às veces boêmia. Outro símbolo da cidade é o Museu Alemão da Mineração, o maior deste tipo do mundo e com muitas atividades de pesquisa, com sua característica torre de extração. Mais informações: www.bochum.de, www.bochum-tourismus.de e www.youtube.com/watch?v=SraABE55Quk

Tem 610 mil habitantes e, hoje em dia, é a maior cidade da região do Ruhr. Com o início da industrialização, a cidade crescia rápido e estabelecia-se como ponto nodal do comércio e tráfico. Após a destruição quase completa na Segunda Guerra Mundial, Dortmund virou no pós-guerra de novo a “capital de carvão e aço”. A cidade também chegou a produzir até 10% de toda a cerveja na Alemanha. A antiga cervejaria “Union-Brauerei” o recorda ainda – e mostra a transformação da cidade: Hoje em dia é um centro artístico-cultural efervescente, conhecido como “Dortmunder U”. Além de uma paisagem cultural, econômica e educacional efervescente e diversificada, a cidade orgulha-se de seu clube principal de futebol – o Borussia Dortmund (BVB 09) – e do novo museu alemão de futebol. Mais informações: www.dortmund.de, www.dortmund-tourismus.de e https://www.youtube.com/watch?v=wMm9VjTFmWk

Cooperações

As três universidades da UA Ruhr mantêm um número relevante de convênios e cooperações em projetos com universidades e instituições de pesquisa no Brasil.
Atualmente existem convênios de cooperação e intercâmbio com as seguintes universidades brasileiras:

  • Universidade Federal do ABC (UFABC)
    Convênio pela UA Ruhr (com objetivo de parceria estratégica), cooperação na mobilidade estudantil e nas áreas de Física, Eng. Mecânica, Filosofia, Ciência Política e Planejamento Regional.
  • Universidade de Brasília (UnB)
    Convênio pela UA Ruhr, cooperação na mobilidade estudantil e nas áreas da Comunicação e da Eng. Eletrônica.
  • Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)
    Convênio pela TU Dortmund University, cooperação na mobilidade estudantil e na área das Ciências de Reabilitação.
  • Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
    Convênio pela Ruhr-Universität Bochum, cooperação na mobilidade estudantil e nas áreas das Engenharias e das Letras Românicas.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
    Cooperação nas áreas de Biologia, Informática e Logística.
  • Universidade Estadual de São Paulo Júlio Mesquita Filho (UNESP)
    Convênio pelas U Duisburg-Essen e TU Dortmund University, cooperação na mobilidade estudantil e nas áreas das Engenharias e da Física.
  • Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
    Convênio pela U Duisburg-Essen, cooperação na mobilidade estudantil e na área das Ciências do Esporte.
  • Universidade de São Paulo (USP)
    Convênio pela U Duisburg-Essen, cooperação nas áreas das Engenharias e da Física.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
    Convênio pela U Duisburg-Essen e pela TU Dortmund University (em negociação), cooperação na mobilidade estudantil e na áreas da Física, Letras, Eng. Química e Eng. Urbana.

Até seu encerramento em 2016, a UA Ruhr participou ativamente do programa de bolsas do governo brasileiro “Ciência sem Fronteiras“ (CsF). Assinaram-se convênios com CAPES e CNPq e ofereceram-se muitas vagas de intercâmbio em todas as áreas relevantes – engenharias, ciências exatas e da vida, medicina e indústrias criativas, em todos os níveis acadêmicos. Até final do semestre de inverno de 2016/17, nas três universidades da UA Ruhr foram recebidos aprox. 430 bolsistas brasileiros em todas as modalidades, na maioria na graduação-sanduíche.

Recepção dos bolsistas CsF na Universidade Técnica de Dortmund, setembro de 2013

Visita do Reitor da UFABC, Prof. Dr. Klaus Capelle, na UA Ruhr e assinatura do novo convênio de cooperação UA Ruhr - UFABC, junho de 2017

Alumni

Muitos estudantes, docentes e pesquisadores brasileiros ja estiveram na UA Ruhr e se beneficiaram com suas muitas oportunidades acadêmicas. Conheça alguns e sua história bem resumida (em orden alfabético do primeiro nome).

Ana Rosa Rabelo de Lima, Doutoranda em Engenharia Metalúrgica
Natural de Marabá (Pará), Ana Rosa esteve de agosto de 2012 a fevereiro de 2014 na Universität Duisburg-Essen, como bolsista do programa „Ciênca sem Fronteiras” (CsF). Neste período, foi uma das testemunhas escolhidas pelo DAAD (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico) para divulgar as possibilidades do estudo na Alemanha. De volta ao Brasil, foi escolhida “Embaixadora CsF” pelo DAAD e participou de eventos de informação. Ana Rosa gostou tanto da estadia na região do Ruhr que ela decidiu voltar à UDE, para fazer doutorado na área de Engenharia Metalúrgica, sob orientação do Prof. Rüdiger Deike. Com sua tese, ela quer contribuir à proteção do meio ambiente, tanto na Alemanha como no Brasil.

Draiton Gonzaga de Souza, Professor Universitário de Filosofia
Cursou Filosofia e Direito na Universidade Federal do Rio Grande do Sul em Porto Alegre, entre outras universidades, e fez doutorado em 1998 na Alemanha (Universidade de Kassel). Em seguida assumiu uma posição pós-doc, que o levou a Tübingen e ao Hegel-Archiv da Ruhr Universität Bochum. Draiton Gonzaga de Souza foi bolsista de várias instituições de renome (DAAD, CAPES, CNPq, Fundação Alexander von Humboldt). Em 2002, recebeu o Prêmio DAAD e em 2013, Prêmio Humboldt Alumni, por suas muitas realizações acadêmicas e de cooperação entre Brasil e Alemanha. Atualmente Draiton de Souza é professor titular e diretor da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul e em um dos coordenadores da rede de juristas Brasil-Alemanha.

Elias Tristão da Silva Neto, Estudante de Enfermagem
Natural de Ipuã (interior de São Paulo), Elias faz o curso de Bacharelado e Licenciatura em Enfermagem na Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto (EERP-USP), com o objetivo de graduar-se em 2020. De setembro de 2017 até fevereiro de 2018, com uma bolsa do Programa de Intercâmbio Internacional da USP, estudou na TU Dortmund, na faculdade de Ciências da Reabilitação. Durante este periodo, Elias realizou ainda um estágio voluntário num centro de apoio psicomotriz onde trabahou com crianças de até 12 anos de idade. A sua experiência mais enriquecedora, além do estágio, foi descobrir novos métodos de ensino diferentes. Ficou impressionado pela variedade cultural na Alemanha e gostou de aperfeiçoar a língua alemã. Elias é muito grato por ter tido essa chance, mas também trabalhou muito para tê-la: Vendeu mais de 2000 bolinhos para arrecadar os recursos para pagar a passagem aérea.

Fabiana Faleiros, Professora Universitária de Enfermagem
Estudou Enfermagem na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho e foi enfermeira de reabilitação na rede SARAH de Hospitais de Reabilitação, em Belo Horizonte. Na sequência, Fabiana fez mestrado em Ciências de Enfermagem e Saúde na Universidade Federal de Minas Gerais e doutorou-se, em 2012, na Faculdade de Ciências da Reabilitação da Universidade Técnica de Dortmund, sob orientação do Prof. Christoph Käppler. Fabiana integra a Associação Portuguesa de Enfermeiros de Reabilitação e, desde 2012, é professora adjunta da Universidade de São Paulo, no campus de Ribeirão Preto, com ênfase na área de deficiência física e reeducação vesico-intestina.

Felipe Tempel Stumpf, Professor Universitário de Engenharia Mecânica
Estudou Engenharia Mecânica na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre. Entre 2011 e 2013, ele fez parte de seu doutorado no Instituto de Mecânica da Universidade de Duisburg-Essen (UDE), sob orientação do professor Jörg Schröder, também pró-reitor de pesquisa da UDE. Após a conclusão, Felipe Tempel Stumpf retornou ao Brasil, onde desde então é professor adjunto na Universidade Federal do Rio Grande. Ele pesquisa e ensina particularmente na área de elasticidade de corpos mecânicos

Fernando Augusto Ramos Pontes, Professor Universitário de Psicologia
Estudou Psicologia na Universidade Federal do Pará (UFPA) e na Universidade de São Paulo, onde obteve seu doutorado em 1996. Fez vários pós-doutorados, sendo um deles na Faculdade de Ciências da Reabilitação da Universidade Técnica de Dortmund, de 2011 e 2012, junto com o Prof. Christoph Käppler. Em seguida Pontes voltou à UFPA, onde ensina e pesquisa na área de Ecologia do Desenvolvimento Humano com ênfase em redes sociais e relações de parentesco.

Gabriela de Freitas Barbosa
Nasceu e cresceu no Recife e se graduou em Arquitetura e Urbanismo, na Universidade Federal de Pernambuco, em 1997. Desde então, mantém interesse pelos processos de planejamento e desenvolvimento das cidades, especialmente nas relações entre o crescimento urbano e o comportamento dos cidadãos. Foi aluna do programa SPRING (Spatial Development in Growing Economies) da TU Dortmund, de 2006 a 2008. Para elaborar a tese, morou em Dar es Salaam, na Tanzânia. Para Gabriela, SPRING foi uma experiência única, especialmente pela multiculturalidade dos alunos, que permitiu ampliar os horizontes e trocar experiências. Após seu retorno ao Brasil, tem trabalhado nas áreas de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento e de Gestão Pública de Espaços Urbanos. Desde 2017 é Gerente Geral, na Secretaria Executiva de Relações Internacionais do Governo de Pernambuco.

Isabel Farah Schwartzman, Avaliadora de aprendizagem
Nasceu e cresceu no Rio de Janeiro. Após passar pela Escola Alemã Corcovado, Isabel cursou Sociologia e História Social e Econômica na Universidade de York, Reino Unido. De 2002 a 2004, fez mestrado em “Development Management”, na Ruhr-Universität Bochum (RUB), aproveitando-se da possibilidade de dupla titulação, pela RUB e pela University of the Western Cape, na África do Sul. O que mais a marcou no período na RUB foi a oportunidade de estudar temas de desenvolvimento com colegas de todo o mundo, incluindo Alemanha, Ásia, África e América Latina. Hoje é Diretora de Avaliação da empresa Avalia Educacional, que desenvolve e aplica avaliações de aprendizagem em escolas públicas e particulares em todo o Brasil.

Maria do Carmo Sobral, Professora Universitária de Planejamento Ambiental
Estudou, pesquisou e ensinou em várias universidades de renome internacional – entre elas na Universidade Técnica de Dortmund, em 1986, onde ela se aperfeiçoou em planejamento urbano e regional, com foco na sustentabilidade. Após terminar o doutorado na Universidade Técnica de Berlim, Maria do Carmo voltou à terra natal para atuar na Universidade Federal de Pernambuco e em cargos da administração pública, entre outros, na Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente do Pernambuco. Hoje em dia ela é professora titular aposentada na Faculdade de Engenharia Civil, com passagem no Conselho Técnico-Científico de Ensino Superior na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), e na diretoria da Associação Regional de Ex-Bolsistas da Alemanha.

Marcelo Trovó, Professor Universitário de Botanica
Natural de São Paulo, Marcelo cursou Ciências Biológicas e doutorou-se em Botânica, pela Universidade de São Paulo. Durante o doutorado teve um período sanduiche, em 2008, na Ruhr-Universität Bochum (RUB), sob orientação do Prof. Thomas Stützel. Ficou admirado com a organização e o profissionalismo na RUB, os quais tornaram o ambiente de trabalho tranquilo, produtivo e estimulante. Tambièm fez pós-doutorado na RUB até 2012, com bolsa da Fundação Alexander von Humboldt, em continuação da cooperação com o Prof. Stützel. De volta ao Brasil, tornou-se professor na Universidade Federal do Rio de Janeiro (Instituto de Biologia, Departamento de Botânica). A parceria com a Alemanha segue intensa, com intercâmbio de alunos e pesquisas em conjunto, sempre com expedições de coletas nas regiões montanhosas do Brasil.

Maria Júlia van Boekel Cheola Torres, Coordenadora de Intercâmbio
Maria Julia graduou-se em Relações Internacionais no IBMEC Rio de Janeiro. Em 2014/15, fez mestrado em "Development and Governance" na Universität Duisburg-Essen, graças a uma bolsa do DAAD (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico). Quando chegou lá, Maria Julia não sabia nada de alemão e conhecia o país somente por meio de alguns filmes e livros. Com todos estes desafios, foi descobrindo sua afinidade à língua e às manifestações culturais na Alemanha. Segundo ela, estudar na Alemanha e na UA Ruhr lhe trouxe muitos benefícios, também na área profissional. Após voltar ao Brasil, Julia atuou na área de relações internacionais da prefeitura da cidade do Rio de Janeiro. Desde abril de 2017, coordena as áreas de eventos, marketing e redes sociais, no escritório regional do DAAD para o Brasil, no Rio de Janeiro.

Mônica Maria Guimarães Saavedra, Professora Universitária de Linguística
Após cursar Português e Alemão na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Mônica doutorou-se na Universidade Federal do Rio de Janeiro, em 1994. Dez anos mais tarde fez um pós-doutorado em sociolinguística na Universidade de Duisburg-Essen, junto ao Professor Ulrich Ammon. Após 25 anos de docência na UERJ, Mônica foi para a Universidade Federal Fluminense em Niterói, onde leciona e pesquisa temas sociolinguísticos, p.ex. a linguagem dos imigrantes no Brasil. Além disso, é assessora científica da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro, para a área das Ciências Humanas.

Ole Erdmann, Ator e Diretor de Teatro
Natural de Lüneburg (Norte da Alemanha), Ole cursou na Ruhr-Universität Bochum (RUB), de 1994 a 2000, estudos de teatro, filme e televisão, história moderna e jornalismo e, na University of Glasgow, direção de cinema y produção de teatro. Fora da academia, completou sua formação com vários estágios e projetos em teatros na região do Ruhr, como, por exemplo, no famoso “Schauspielhaus” (Teatro Municipal) de Bochum. Desde 2006 mora no Rio de Janeiro e é muito integrado na cena teatral da cidade. Ole trabalha como diretor independente de teatro, atuando em diferentes salas como na Casa das Artes Laranjeiras, no Teatro Fashion Mall ou Teatro SESC Copacabana. Também trabalha como professor de teatro na Escola Alemã Corcovado onde organiza regularmente com os alunos apresentações em língua alemã.

Oliver Stuenkel, Professor Universitário de Relações Internacionais
Estudou Administração de Empresas (Bacharelado) na Universidade de Valência e Políticas Públicas (Mestrado) na Kennedy School of Government (Harvard). De 2008 a 2011, doutorou-se na Universidade de Duisburg-Essen, sob orientação do Prof. Tobias Debiel. Oliver já ensinou e pesquisou em várias universidades de renome internacional, como na Universidade de São Paulo e na Escola de Estudos Internacionais da Universidade Jawaharlal Nehru, em Nova Deli. Hoje atua como professor e coordenador do curso de Relações Internacionais na Fundação Getúlio Vargas em São Paulo, pesquisando sobre a política externa dos países emergentes e o seu impacto na governança global. Também já participou várias vezes das delegações brasileiras para preparação de cúpulas governamentais dos países BRICS.

Pedro Rafael Fernandes, Professor Universitário de Engenharia Químico
Após concluir a graduação e o mestrado em Engenharia Química pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Pedro fez doutorado em Engenharia na Universidade Técnica de Dortmund, sob orientação do Prof. Sebastian Engell e com bolsa do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD). Voltando ao Brasil, em 2005, virou sócio da empresa “Trisolutions” para serviços especializados em plantas industriais. Em 2010, ingressou na UFRGS como professor adjunto para Engenharia Química e Controle e Automação, onde foir coordenador de graduação do curso de Engenharia Química (2014-2016). Suas áreas de pesquisa são Controle e Automação na Indústria Química, principalmente modelagem de processos e análise de sistemas.

Pedro Ivo Carneiro Teixeirense, Historiador
Após concluir o mestrado na Universidade de Brasília, em 2006, Pedro atuou como pesquisador e consultor em organismos nacionais e internacionais, entre outros para o Senado Federal, a Comissão Nacional da Verdade e a UNESCO. Durante o doutorado que o levou à Universidade Federal do Rio de Janeiro, pesquisou durante um ano (2015/16) no Instituto para Movimentos Sociais da Ruhr-Universität Bochum (RUB). Neste período, foi premiado pela Research School e atuou como Professor Assistente no Departamento de História. Ressalta que na RUB se beneficiou muito com a infraestrutura, o entusiasmo receptivo dos colegas e a comunidade internacional de pesquisadores. De volta ao Brasil, Pedro concluiu seu doutorado e criou um site dedicado à pesquisa sobre a História da Ditadura Brasileira (www.historiadaditadura).

Richard M. Stephan, Professor Universitário de Engenharia Elétrica
Estudou no Instituto Militar de Engenharia e na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). De 1982 a 1985, foi bolsista do DAAD na Ruhr-Universität Bochum, onde obteve o grau de doutorado com uma tese sobre sistemas de controle. Desde 1997, Richard Stephan ensina e pesquisa na UFRJ, focando nas áreas de super-condutividade, tração e controle eletrônicos assim como veículos suspensos magnéticos. E um dos responsáveis do projeto MAGLEV-COBRA, o trem de levitação magnética que faria a ligação ao campus da UFRJ, na Ilha do Fundão.

Contato

Dr. Stephan Hollensteiner
Diretor-coordenador do escritório

Email: stephan.hollensteiner@uaruhr.de

Escritório na UA Ruhr
c/o Universität Duisburg-Essen, ST 012
Friedrich-Ebert.Str. 23, 47119 Duisburg
Tel.: +49 (203) 379 3456

Escritório em São Paulo
c/o Centro Alemão de Inovação e Ciência São Paulo (DWIH)
Rua Verbo Divino, 1488 - Térreo
04.719-904 São Paulo - SP
Tel.: +55 (11) 5189-8319

Prof. Dr.-Ing. Rüdiger Deike
Diretor Científico

Email: ruediger.deike@uni-due.de


Universität Duisburg-Essen
Fac. de Engenharia – Inst. de Metalurgia

Contato - International Offices

Ruhr-Universität Bochum

Jutta Schmid M.A.

Email: jutta.schmid@uv.rub.de

Universität Duisburg-Essen

Sibel Gören

Email: sibel.goeren@uni-due.de

TU Dortmund University

Jane Artmann M.A.

Email: jane.artmann@tu-dortmund.de